Buscar por notícias

Calendário de Notícias

Novembro 2018
S T Q Q S S D
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2
 

Notícias do TJGO

Comarca de Corumbaíba inicia projeto Trabalho e Cidadania na unidade prisional da cidade

A juiza Nunziata Stefania Valenza Paiva, da comarca de Corumbaíba, iniciou, em parceria com a sociedade organizada, o projeto Trabalho e Cidadania na unidade prisional da cidade. O projeto visa a criação de vagas de trabalho dentro da unidade, inicialmente, para produção de blocos, canaletas e pisos de concreto.

O projeto foi iniciado a partir da doação de uma máquina pneumática de produção de blocos e pisos de concreto, feita pela parceira Italac, a qual foi instalada no presídio e já está em pleno funcionamento. Além da Italac, a iniciativa tem parceria com a Promotoria de Justiça, Prefeitura, Conselho da Comunidade e curso de Engenharia Civil da Universidade Federal de Catalão.

O curso de engenharia civil está colaborando diretamente por meio de um programa de extensão coordenado pelo professor Ed Carlo Rosa Paiva, no âmbito do qual foi confeccionado gratuitamente o projeto de ampliação do presídio e o curso de formação dos reeducandos para operação da máquina Vibra Blocos, realizado no dia 22 de junho.

O Poder Executivo Municipal e o Conselho da Comunidade realizaram a doação do material para construção do galpão e da matéria-prima necessária para o início da produção dos blocos. "O trabalho é desenvolvido pelos reeducandos sob a supervisão dos agentes penitenciários, permitindo ao mesmo tempo a capacitação e futura reinserção dos reeducandos no mercado de trabalho, abrindo as portas para começarem de novo uma vida amparada na licitude e cidadania, bem como proporcionará a remissão de pena pelo trabalho", afirmou a magistrada.

A fabricação dos blocos de cimento está inserida no projeto mais amplo de reforma e ampliação da unidade prisional com foco na oferta de espaço e oportunidades de estudo e trabalho. Assim, num primeiro momento, os blocos estão sendo produzidos para uso na obra de reforma e ampliação e, posteriormente, poderão ser comercializados. (Texto: Lara Beatriz – estagiária do Centro de Comunicação Social do TJGO)