Buscar por notícias

Calendário de Notícias

Outubro 2018
S T Q Q S S D
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
 

Notícias do TJGO

Juiz Jesseir Coelho de Alcântara manda a júri popular traficante e comparsas acusados de homicídio e tentativa de homicídio

wood-tool-hammer-symbol-balance-business-839873-pxhere.com 1O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri, acatou parecer do Ministério Público do Estado de Goiás para mandar, nesta quinta-feira (20), a júri popular acusado de tráfico e comparsas por homicídio e tentativa de homicídio. O juiz manteve a prisão dos acusados.

Narra a denúncia que Renato Fabrício Santos Pereira, Guilherme de Faria Silva e Aurélio Pinheiro de Almeida mataram, mediante disparos de arma de fogo, Edivaldo José da Silva. O crime ocorreu a mando do traficante José Constantino Júnior, conhecido como Junim. Segundo a denúncia, Junim estava preso quando ordenou o crime, no entanto, continuava a comandar o tráfico de drogas na região do Jardim Nova Esperança, Bairro Capuava, São Francisco e adjacências. Narra, ainda, que para concretizar e expandir seu domínio territorial o traficante contava com a ajuda de comparsas para executar os traficantes rivais, incluindo Edivaldo. 

43745182581 98c96898d4 zNa data do homicídio, Edivaldo estava acompanhado de sua esposa quando foi surpreendido pelos diversos disparos de fogo. Ele foi a óbito no local e suamulher foi socorrida e encaminhada ao Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), tendo sobrevivido após o socorro médico. O Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) pugnou pela pronúncia dos acusados, a fim de vê-los julgados pelo Tribunal do Júri.

Ao analisar os autos, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara (foto à direita), no que concerne à autoria, ressaltou que há indícios de que o acusado José Constantino Júnior pode ter sido autor do delito que vitimou Edivaldo. Quanto aos acusados Renato e Guilherme restou indicado nos autos que eles podem ter sido os executores do homicídio e tentativa de homicídio. Em relação a Aurélio, restou apurado que ele pode ter sido o condutor do veículo que levou os executores até o local do crime. Jesseir pronunciou os acusados e manteve a prisão preventiva de todos. (Texto: Jhiwslayne Vieira – Estagiária do Centro de Comunicação Social do TJGO)