Buscar por notícias

Calendário de Notícias

Outubro 2018
S T Q Q S S D
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
 

Notícias do TJGO

Aberta exposição de fotógrafos e design gráfico do TJGO no Fórum Cível de Goiânia

A diretora do Foro da comarca de Goiânia, juíza Maria Socorro de Souza, abriu a exposição “Luz, Ação: A Justiça na Comunidade”, na tarde desta quarta-feira (16), representando o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Gilberto Marques Filho. A cerimônia de lançamento. que aconteceu no Hall do Fórum Cível. contou com o prestígio do corregedor-Geral da Justiça, desembargador Walter Carlos, do desembargador Itaney Francisco Campos e da presidente do Sindicato dos Servidores e Serventuários da Justiça do Estado de Goiás, Rosângela de Alencar, e outros magistrados.

O projeto Luz, Ação reúne uma seleção de fotos e ilustrações relacionadas às ações desenvolvidas pelo Judiciário goiano nos últimos dez anos. A mostra traz fotos de momentos de programas como Acelerar Previdenciário, Amparando Filhos, Justiça Ativa, adoção, audiências do Pai Presente e comunidade Kalunga. Também estão expostas ilustrações que retratam temáticas da justiça, como maioridade penal e adoção.

As fotos expostas são dos fotógrafos do Tribunal de Justiça Aline Caetano e Wagner Soares  e as ilustrações são do design gráfico Wendel Reis. Para a fotógrafa Aline Caetano, a realização do projeto Luz, Ação é uma honra. “Eu fui para o Tribunal apenas para cobrir férias e já estou há mais de 10 anos. O fotógrafo antes de registrar com a câmera registra com o coração, e de todo material que eu já fiz até hoje destaco três que eu gosto muito, Amparando Filhos, que é o encontro de mães presas com os filhos; de adoção; e o Acelerar Previdenciário, porque por meio dele eu visito a casa do idoso, da criança, pessoas que não têm mais a quem recorrer e vão à Justiça requerendo um benefício de aposentadoria”, conta emocionada.

Wagner Soares admite que a exposição é um momento ápice na vida de um profissional e que se sente renovado para continuar registrando os momentos em que o Judiciário se aproxima das pessoas. “Para nós que estamos no campo de luta, ao fotografar cada evento, tentamos passar um pouco da emoção que vivemos quando a Justiça chega até o jurisdicionado que, muitas vezes, está há anos esperando o resultado de uma adoção, de um reconhecimento de paternidade ou até mesmo de uma simples emissão de documentos. É isso que as fotos mostram, a emoção do cidadão, a alegria ao receber um ato judicial”, ressalta.

O design gráfico e ilustrador Wendel Reis explica que a sua arte é considerada primária por se parecer com desenhos infantis, mas que essa brincadeira é feita de forma proposital. “As vezes, quando se fala em justiça se pensa em algo duro e neste caso eu uso a aquarela e as formas mais infantis para perder essa dureza e conseguir me aproximar cada vez mais do público”, esclarece.

Na ilustração Justiça, o artista destacou que a representação foi feita para mostrar o equilíbrio dado a partes diferentes por meio das ações do Judiciário.  Em uma das ilustrações sobre adoção, ele retratou um casal sem rosto com corações na altura das mãos e uma criança no meio deles. “Essa obra destaca que, independentemente de quem sejam os pais ou de que forma eles sejam, eles têm que estar tranquilos sobre a adoção e entender que devem pensar primeiro na criança”, salienta.

Presenças

A juíza Maria Socorro de Souza prestigiou o trabalho dos artistas e destacou que ao olhar os quadros consegue verificar a sensibilidade de cada um deles. “Ao retratar o momento, o olhar, uma situação tão simples de um ser humano, eles o fazem de uma forma tão diferenciada que é possível ver o coração de cada artista, é muito bonito”, elogia.

“É de extrema relevância mostrar esse trabalho feito com tanto carinho por esses três profissionais capacitados, ver na expressão de cada foto o simbolismo e profundidade do momento é muito interessante, é possível até mesmo escrever uma história sobre cada quadro exposto, todos têm um enorme simbolismo”, destacou o corregedor-geral, desembargador Walter Carlos. Ele também parabenizou os fotógrafos e o ilustrador, e animado declarou que espera que essa seja a primeira de muitas exposições com temáticas do Judiciário goiano.

Para o curador da exposição e diretor do Centro de Comunicação Social (CCS), o jornalista Bruno Rocha, a exposição mostra a qualidade dos profissionais do TJGO. "Esse trabalho deve ser divulgado e ter visibilidade porque retrata os últimos 10 anos do poder Judiciário na comunidade. Nós já estávamos com esse projeto há algum tempo e agora, na gestão do presidente, desembargador Gilberto Marques Filho, nós conseguimos realizar", destaca.

A coordenadora do projeto e assessora de planejamento do CCS do TJGO, Cecília Araújo, esclarece que a exposição é um meio de dar publicidade para o trabalho que os magistrados e servidores têm desenvolvido em Goiânia e nas comarcas do interior. "É importante mostrar o que o Judiciário tem feito pela comunidade e reconhecer o trabalho dos profissionais do Tribunal", salienta.

A exposição estará aberta para visitas até o dia 15 de junho no Hall do Fórum Cível, localizado na Avenida Olinda, quadra G, lote 4, Park Lozandes. No dia 18 de junho, estará exposta no Fórum Criminal e, a partir do segundo semestre de 2018, se tornará itinerante. A comarca que desejar receber as fotos e ilustrações no segundo semestre deve encaminhar e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. com a solicitação. Estiveram presentes na exposição, os juízes Everton Santos, Carlos Magno Rocha, Ronnie Paes Sandré, Aureliano Alburquerque, Sival Guerra, Ítala Colnaglhi, Antônio Cezar Menezes e o ex-diretor de comunicação do TJGO, o escrivão Luiz Otávio Soares. (Texto: Jhiwslayne Vieira - Estagiária / Fotos: Acaray M. Silva - Centro de Comunicação Social do TJGO)

Veja galeria de fotos