Os escrivães da 7ª Vara Cível da comarca de Goiânia, Antônio José Ribeiro, e da 11ª Vara Cível da capital, João Batista França, foram aposentados compulsoriamente conforme decretos editados nesta quarta-feira (24), pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Leobino Valente Chaves. Com isso, os cartórios passam a ser oficializados e serão assumidos pela Diretoria do Foro de Goiânia.

Para que todas as providências necessárias sejam tomadas nesse sentido, os prazos processuais e o atendimento ao público estão suspensos a partir de hoje até a sexta-feira (3), para que seja feita a troca de todo mobiliário e equipamentos eletrônicos e de informática. O diretor do Foro, Wilson da Silva Dias, já baixou portaria nomeando os encarregados das escrivanias.

“A Diretoria do Foro já estava se preparando para assumir essa nova realidade. Temos certeza de que essas unidades vão proporcionar um trabalho eficiente aos jurisdicionados, mas precisamos desses dias para fazer as adequações necessárias”, explicou ele, reiterando que os servidores que serão lotados participaram de um curso de capacitação e estão aptos a realizar todas as atividades exigidas.

Para a juíza Luciane Cristina Duarte dos Santos, que substitui na 11ª Vara Cível o juiz Felipe Vaz de Queiroz, que atualmente é juiz auxiliar da Presidência, a mudança é grande. “Quando você oficializa uma escrivania, você tem mais apoio e mais ingerência do Poder Judiciário na vara, o que é muito importante para o juiz. Além disso, vai ser feita uma análise de todos os processos pelo Programa Atualizar e pela Diretoria do Foro, isso sem falar na instalação de práticas cartorárias de acordo com os padrões de organização da Corregedoria Geral da Justiça de Goiás”, afirmou. (Texto: Aline Leonardo - Centro de Comunicação Social do TJGO - Foto: Hernany César)

Fale conosco sobre esta página