Os júris de maior complexidade realizados na comarca de Goiânia contam com um novo espaço no Fórum Cível Heitor Moraes Fleury. As instalações foram entregues, na manhã desta nesta sexta-feira (31), em solenidade que contou com a presença do presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Walter Carlos Lemes; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho; os desembargadores Jeová Sardinha de Moraes e Fausto Moreira Diniz; o diretor do Foro da comarca de Goiânia, juiz Paulo César Alves das Neves; o procurador-geral da Justiça, Aylton Vechi, o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (CASAG/OAB-GO), Rodolfo Otávio Mota; e André Quintino Silva Paiva, da procuradoria-geral adjunta da Prefeitura de Goiânia, além de diversos magistrados, servidores e advogados.

Walter Carlos Lemes, que neste sábado (1º) completa um ano na Presidência do TJGO, aproveitou para evidenciar o bom diálogo entre os poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público e Tribunal de Contas e disse que os encontros frequentes dos chefes dos poderes têm propiciado boas soluções para as dificuldades enfrentadas pelo Estado, como o pagamento em dia dos funcionários. O desembargador-presidente também reconheceu o auxílio remoto de magistrados que estão respondendo por outras comarcas e, assim, se desdobrando para a prestação jurisdicional em unidades com déficit de juízes.

“A reforma das dependências do plenário do tribunal do júri atende a um clamor da sociedade, no entanto, não entendo que júris tenham sido obstruídos, pois o Tribunal de Justiça dispõe de espaços para realização de júris de grande repercussão, como foi o caso do júri do Tiago Henrique Gomes da Rocha, que chamou a atenção até da imprensa internacional”, declarou o presidente, afirmando que a morosidade não é uma palavra do seu dicionário e que o último ano foi de muita luta para encontrar soluções para o TJGO.

O diretor do Foro, juiz Paulo César Alves das Neves, disse que o espaço foi adequado para atender a solicitação de magistrados que manifestaram a necessidade de uma estrutura melhor para júris mais complexos e longos. “Com essa entrega, a comarca de Goiânia está preparada para a realização de qualquer tipo de júri”, declarou, adiantando que o projeto da gestão do desembargador Walter Carlos é a construção de um novo Fórum Criminal, com todos os requisitos de segurança, infraestrutura e modernidade, e que contará com cinco plenários para o tribunal do júri.


“É interesse e uma preocupação do Ministério Público termos um espaço adequado para a solução dos crimes que acometem a vida de cidadãos e este espaço abrigará momentos ímpares onde a justiça será feita. Para juízes, advogados, parentes das vítimas e sociedade em geral, isso é a representatividade da Justiça”, exaltou o procurador-geral da Justiça, Aylton Vechi. O chefe do Ministério Público de Goiás também parabenizou o presidente Walter Carlos, afirmando que ele apresentou “uma carta de serviços notável nesta metade da sua gestão, tanto para o Judiciário como para a sociedade”.





Representando a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Seção Goiás), o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (CASAG), Rodolfo Otávio Mota, afirmou que, em nome dos jurisdicionados e da sociedade, agradece o cumprimento dessa meta pelo Judiciário goiano e acredita que o local será palco de “grandes debates e enfrentamento dos crimes dolosos contra a vida de grande clamor público”.

Ao final, os participantes visitaram as novas dependências. Com um auditório com capacidade para 279 lugares, a Diretoria do Foro de Goiânia ampliou a sala dos réus e construiu duas salas para as testemunhas – de acusação e defesa – dois banheiros (masculino e feminino) e refeitório para jurados. Os júris de menor complexidade continuam no Fórum Criminal Desembargador Fenelon Teodoro Reis. (Texto: Daniela Becker / Fotos: Aline Caetano - Centro de Comunicação Social do TJGO).

Confira a galeria de fotos.

 

Fale conosco sobre esta página