O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Ney Teles de Paula, implantou, nesta terça-feira (13), na comarca de Panamá, o Projeto Justiça Educacional. A ação, inédita no município, beneficiará cerca de 260 alunos do 6° e 9° ano do ensino médio e mobilizará 15 professores.

Emocionado, o desembargador-presidente afirmou que o programa é muito especial para o Tribunal e disse que fez questão incluir cidades como Panamá, Alto Paraíso, Bela Vista, Santa Cruz de Goiás, Caiapônia e Piracanjuba no projeto. A proximidade do juiz com o cidadão também foi ressaltada por Ney Teles de Paula, para quem o projeto motiva os jovens a encontrarem seus caminhos.

A diretora do Foro e coordenadora local do programa, juíza Lívia Vaz da Silva, enumerou os benefícios do programa para a comunidade. Segundo ela, além de aproximar o Poder Judiciário da escola, a ação ajuda na prevenção do uso de drogas e na redução da criminalidade. “É preciso enxergar um Poder Judiciário acessível, transparente e com certeza menos formal”, pontuou. Para a magistrada, programas como esse, e a realização de atividades como júri simulado, gincanas, premiações e redação revela que a Justiça existe, de fato, para o cidadão.

A juíza Camila Nina Erbetta Nascimento e Moura, coordenadora do Núcleo de Responsabilidade Social e Ambiental do TJGO, explicou que, na medida em que o projeto é desenvolvido, o magistrado, em contato com a comunidade, se torna uma referência, fornecendo paradigmas aos estudantes. “Além disso, ajuda na construção da identidade do sujeito constitucional, isto é, daquele sujeito que protagoniza sua própria história, ciente dos seus direitos, mas também dos seus deveres, e que colabora na edificação de seu país, mais justo e solidário”, destacou.

Camila Nina destacou, ainda, que o projeto propicia a saudável discussão de valores democráticos em ambiente escolar, como dignidade humana, igualdade de direitos, cumprimentos de obrigações, e induz a uma noção de corresponsabilidade pela vida social.
De acordo com o vice-prefeito Renê da Mota Oliveira, que representou o prefeito Divino Alexandre, a iniciativa leva novos horizontes aos alunos e “a certeza de que, havendo dedicação e esforço, um futuro melhor pode ser alcançado”. Ele esclareceu que ações como estas são sempre bem-vindas no município que conta com 2,6 mil habitantes e duas escolas, uma municipal e estadual.  

Balanço

Segundo previsão do Núcleo de Responsabilidade Social e Ambiental do TJGO, em 2014, o Programa Justiça Educacional: Cidadania e Justiça também se Aprendem na Escola será implantado em mais 16 comarcas, o que alcança todas as 13 regiões judiciárias do Estado.

Além de Panamá, a ação foi implantada este ano em Minaçu, Cromínia, Mineiros, Jataí, Santa Cruz de Goiás, Bela Vista de Goiás e Corumbaíba. Em 2013, o Justiça Educacional chegou em nove comarcas e atendeu 6 mil alunos.

“O conhecimento que os alunos adquirem com o programa faz com que o comprometimento do cidadão com o país aumente e proporciona, dentro das escolas, discussões importantíssimas. É um programa acessível e próximo da sociedade”, finalizou  Camila Nina.

Livro
Após a solenidade de implantação do Justiça Educacional foi sorteado, entre alunos e professores, o livro Memorial do Efêmero, de autoria do desembargador Ney Teles de Paula. Também participaram da solenidade, a esposa do presidente, Nely Lina da Silveira Teles; o juiz-auxiliar da Presidência do TJGO, Reinaldo Alves Ferreira;  os servidores do TJGO, Irenice Dias, Cláudio Roberto, Marta Rodrigues; a promotora de justiça, Mônica Fachinelli da Silva; subsecretária regional de educação, Carminda Cândida Resende; o advogado Ismail Luiz Gomes; a presidente da Câmara Municipal de Panamá, Rejane de Paula e Silva; entre outras autoridades. (Texto: Arianne Lopes/ Fotos: Aline Caetano – Centro de Comunicação Social do TJGO)

Veja a galeria de fotos

Fale conosco sobre esta página