A comarca de Rio Verde iniciou hoje os trabalhos da 7ª Semana Nacional da Conciliação, sob a coordenação do Núcleo de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos.

Até 14 de novembro, serão realizadas mais de duas mil audiências processuais e pré-processuais referentes a Seguro DPVAT, ações revisionais, direito de família, execuções fiscais, além de cobranças de débitos da Saneago e outras empresas públicas.

Assim como na comarca de Caldas Novas, a cidade de Rio Verde recebeu pela primeira vez toda a estrutura disponibilizada pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás para a realização da 7ª Semana Nacional da Conciliação. Segundo o coordenador dos trabalhos na região, juiz Vitor Umbelino Soares Junior, esta parceria fez toda a diferença, “considerando que o jurisdicionado que busca os serviços prestados pelo Poder Judiciário para a solução de seus conflitos merece ser bem tratado, encontrar uma excelente estrutura de atendimento, além é claro, de receber uma eficiente prestação de serviços”.

Em Rio Verde, foram montadas 16 bancas de conciliação no andar térreo do fórum, além de oito guichês para parcelamento de débitos fiscais junto ao município e empresas públicas como a Saneago. Foram escalados 18 conciliadores e mais de 40 servidores atuam direta ou indiretamente na organização dos trabalhos. Para a homologação dos acordos, além de Vitor Umbelino, foram designados os magistrados Fernando César Salgado, Lídia Assis de Souza Branco, Coraci Pereira da Silva e Javahe de Lima Júnior.

Vitor Umbelino aponta para o sucesso da Semana Nacional da Conciliação que, aos poucos, teve ampliada dos profissionais da área jurídica para toda a sociedade a compreensão da importância da conciliação e mediação como processos alternativos de solução apropriada de disputas, objetivando um processo construtivo de formação de uma cultura da conciliação.

“O cidadão que buscar a Semana Nacional da Conciliação em Rio Verde encontrará não só a possibilidade de resolver o seu processo na Justiça, mas também serviços assistenciais, atividades de prevenção de conflitos e demandas, bem como atendimento e orientação em geral nas atividades de cidadania, trabalho que será realizado em espaço destinado ao contato direto entre a população e o juiz”, afirma o magistrado. (Centro de Comunicação Social do TJGO / Fotos: comarca de Rio Verde)

Fale conosco sobre esta página