Um sistema correicional mais participativo, aberto e moderno de forma a contribuir para a melhoria da gestão do Poder Judiciário e a criação do Processo Judicial Eletrônico das Corregedorias, o PJeCorr, permitindo, assim, maior agilidade, transparência e modernização dos órgãos correicionais, foram os principais pontos levantados durante a abertura do I Fórum Nacional das Corregedorias (Fonacor), que aconteceu no Auditório do Conselho da Justiça Federal (CJF), em Brasília, na noite desta quarta-feira (26). O evento está sendo acompanhado passo a passo nesses dois dias de realização pelo corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho (D), pelo juiz Aldo Saad Sabino de Freitas (C), auxiliar da CGJGO, e pelo diretor de Tecnologia da Informação da Corregedoria, Domingos da Silva Chaves Júnior (E).

Em observância ao disposto no artigo 3º, da Resolução nº 95, de 29 de outubro de 2009, do Conselho Nacional de Justiça, que dispõe sobre a transição dos cargos de direção nos órgãos do Poder Judiciário, foram formalizadas as equipes de transição para o exercício da Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás e da Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás no biênio 2019/2021. 

Considerado o sexto município mais populoso do Estado de Goiás e o primeiro do Entorno de Brasília, com população estimada em aproximadamente 200 mil habitantes, a comarca de Luziânia será sede do 1º Encontro Regional que será promovido nas próximas quinta e sexta-feira ( dias 30 e 31) pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás na atual gestão, sob o comando do desembargador Kisleu Dias Maciel Filho. O corregedor-geral da Justiça estará presente ao evento na sexta-feira (31) e fará a abertura da audiência pública voltada para a população em geral, que terá a oportunidade de expor dúvidas, críticas construtivas e sugestões relacionadas ao Judiciário para o seu real aprimoramento.

Um dos laços mais importantes do ser humano é aquele estabelecido entre pais e filhos. Contudo, por motivos adversos, nem todos têm o privilégio da convivência cotidiana. Privado por 37 anos do convívio com a filha Tereza Cristina Moreira dos Santos (37), que atualmente está detida na unidade prisional de Niquelândia, o lavrador aposentado Valdecy Vicente Coelho, de 65 anos, finalmente conseguiu concretizar um sonho antigo graças ao Programa Pai Presente, executado pela Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás: o de incluir o seu nome no registro de nascimento da filha.  

Fale conosco sobre esta página