Com a presença maciça de profissionais ligados à área educacional local foi implementado na comarca de Luziânia nesta quarta-feira (7) o Projeto Pilares - Restaurar com Luz, que objetiva a edificação de uma cultura de paz nas escolas e é executado pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás. Já introduzido em várias escolas municipais de Goiânia com grande êxito, o projeto alcança pela primeira vez uma comarca do interior, onde serão formados no âmbito escolar 36 facilitadores em círculos restaurativos de construção de paz. Muito prestigiada, a solenidade aconteceu no Auditório do Tribunal do Júri. Presidiram a abertura o desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, a desembargadora Sandra Regina Teodoro Reis, responsável pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, e a juíza Flávia Cristina Zuza, diretora do Foro de Luziânia.

Um sistema correicional mais participativo, aberto e moderno de forma a contribuir para a melhoria da gestão do Poder Judiciário e a criação do Processo Judicial Eletrônico das Corregedorias, o PJeCorr, permitindo, assim, maior agilidade, transparência e modernização dos órgãos correicionais, foram os principais pontos levantados durante a abertura do I Fórum Nacional das Corregedorias (Fonacor), que aconteceu no Auditório do Conselho da Justiça Federal (CJF), em Brasília, na noite desta quarta-feira (26). O evento está sendo acompanhado passo a passo nesses dois dias de realização pelo corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho (D), pelo juiz Aldo Saad Sabino de Freitas (C), auxiliar da CGJGO, e pelo diretor de Tecnologia da Informação da Corregedoria, Domingos da Silva Chaves Júnior (E).

Fale conosco sobre esta página