Educar e comunicar são dois atos muito próximos. Construímos nossa percepção, nosso mundo e nossas vidas com palavras. Por essa razão, a essência da comunicação não violenta está fundamentada na cooperação dos seres humanos entre si, promovendo  o respeito, a atenção e a empatia. Essa mudança de paradigmas, que faz parte do Projeto Pilares, desenvolvido pela Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás em parceria com as redes de educação do Estado, foi realçada no 1º Encontro Virtual de Facilitadores promovida na tarde desta terça-feira (6), pela CGJGO, por meio da Divisão Interprofissional Forense.

Fale conosco sobre esta página