Com um viés interativo, colaborativo e atento às necessidades dos usuários da Justiça, o Encontro Regional On-line da 7ª Região Judiciária, que engloba o Entorno de Brasília e tem Luziânia como Comarca Polo, terminou nesta sexta-feira, 18, contando com mais de mil participações em três dias de constante aprendizado (16, 17 e 18). O evento, que computa a sétima edição virtual, foi promovido pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás em parceria com a Escola Judicial de Goiás (EJUG). Esta foi a primeira edição da atual gestão da CGJGO, que tem à frente o desembargador Nicomedes Domingos Borges e é relativa ao biênio 2021/2023.

Ao expressar a satisfação e a alegria pela realização do evento, especialmente pela abrangência da 7ª Região Judiciária, uma das maiores do Estado, por englobar o Entorno do Distrito Federal e ter Luziânia como Comarca Polo, durante a abertura da reunião institucional entre magistradas e magistrados, servidoras e servidores, ocorrida no início da manhã desta sexta-feira, 18, o corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Nicomedes Domingos Borges, enalteceu o comprometimento e a dedicação das magistradas e magistrados, servidoras e servidores, e atores da Justiça. A seu ver, o resultado desse esforço concentrado é o número de participantes, quase 6 mil, nas seis edições virtuais já realizadas pela Corregedoria em parceria com a Ejug.  

“Com a implementação do Programa Encontro Regional, no formato on-line, devido à pandemia da Covid-19, iniciou-se um novo capítulo da história do Judiciário na qual o diálogo está sempre aberto e rendendo bons frutos. Embora o contato físico não seja possível neste cenário complexo, a participação expressiva e ativa de todos faz a grande diferença, ensejando um congraçamento ímpar”, frisou.

Para o corregedor-geral, o Encontro Regional On-line ficará na história, não só pelas capacitações ministradas pelas competentes equipes do TJGO e da própria Corregedoria com excelência, mas pelos debates ricos e a presença maciça da sociedade que leva a sua voz, que interage de forma mais consciente para o aperfeiçoamento dos serviços, adquirindo maior conhecimento do âmbito jurisdicional, além de ser ouvida pela Justiça mais de perto.

Catalisador de soluções

“Ao mesmo tempo, podemos definir este evento como um catalisador de soluções para as demandas sociais da alçada de outros Poderes e enfrentamento de problemas que necessitam de ações imediatas. Hoje, convidamos cada um para uma discussão aberta e nos colocamos à disposição para receber sugestões, críticas, reclamos e, principalmente, respostas sobre a aceitação e o alcance das ações promovidas por este Poder, despidos de qualquer tipo de formalidade, em um ambiente totalmente participativo”, pontuou.



Aprendizado e novas ferramentas de trabalho

Neste contexto, de acordo com Nicomedes Borges, têm sido constantes o aprendizado e a procura por novas ferramentas e políticas de trabalho para que os canais de diálogo com os diversos atores do sistema judiciário permitam que linhas de comunicação sejam desobstruídas em uma nova fala, franca, sem burocracias ou rodeios, contribuindo para o aprimoramento da Justiça como um todo, especialmente em relação ao primeiro grau de jurisdição. “Contamos com vocês para construirmos, de maneira uníssona, um Judiciário mais forte, célere, transparente e humanizado”, conclamou.

Por sua vez, o juiz Altair Guerra da Costa, auxiliar da CGJGO e coordenador dos Encontros Regionais, disse que a experiência de participar do evento, sobretudo em momento tão interativo entre magistradas e magistrados, servidoras e servidores e agentes da Justiça, contribui para o crescimento profissional e pessoal, bem como para a efetiva prestação jurisdicional.  “Após dois dias de proveitosos debates, capacitações e ensinamento ímpar com o painel jurídico inovador ministrado pelo juiz Guilherme Sarri, nos deparamos com esse momento diferenciado, de singular importância, de crítica construtiva, de discutirmos a relação entre os principais integrantes do Judiciário. Vamos ouvir cada ponderação para, a partir de estudos, possamos nos aperfeiçoar para cumprimos nossa missão com maior afinco”, destacou.   



Momento especial

Emocionado, o juiz Aldo Guilherme Saad Sabino de Freitas, auxiliar da Presidência do TJGO e, na ocasião, representando o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Carlos Alberto França, classificou o momento como especial, tanto por ser o primeiro Encontro Regional do qual participa após a gestão na Corregedoria e também por representar pela primeira vez o presidente do TJGO. Aldo Sabino falou um pouco da sua experiência durante o período em que esteve sob a coordenação geral de 12 Encontros Regionais (seis presenciais e seis on-line). “A participação nos Encontros Regionais, toda essa integração e espírito colaborativo, me trouxe um aprendizado imensurável, passei realmente por uma intensa transformação, muito positiva e enriquecedora, que levarei para a vida inteira”, enterneceu.

O magistrado aproveitou a oportunidade para reforçar o posicionamento da Presidência do TJGO de trabalhar em parceria contínua com a Corregedoria e lembrou a importância do evento para toda a sociedade, que tem voz ativa nos encontros, assim como a valorização dos servidores com as capacitações. “Aprendemos nos encontros a ouvir o outro, a ter mais empatia, a interagir, e entender o que o usuário da Justiça necessita. Também precisamos ter um olhar mais amplo para nossas servidoras e nossos servidores, que são a mola propulsora do Judiciário e isso se torna realmente possível nos encontros. Nossa atuação está perfeitamente alinhada com a Corregedoria e por isso os trabalhos têm fluído com tanta celeridade e coesão com resultados profícuos”, enfatizou.



Alcance social e proatividade

Em breves palavras, a anfitriã do evento, juíza Flávia Morais Nagato Araújo Almeida, diretora do Foro de Luziânia, agradeceu a Corregedoria pela escolha da 7ª Região Judiciária para a realização do encontro, na sua opinião, de amplo alcance social. “Agradeço imensamente o corregedor-geral e toda a equipe que integra a Corregedoria por este canal aberto, que busca a interação, a evolução e o melhoramento do Poder Judiciário como um todo. Deixo registrado o abraço de Luziânia a todos os que estão aqui hoje prestigiando este evento maravilhoso”, elevou.

Em considerações rápidas, os juízes Camila Nina Erbetta Nascimento e Ricardo Dourado, auxiliares da CGJGO, elogiaram o trabalho proativo desenvolvido pelo corregedor-geral nesses 5 meses de gestão e deixaram claro que a Corregedoria está de portas abertas para atender qualquer cidadão. “O nosso corregedor-geral já comprovou sua capacidade de gestão e está sempre de portas abertas para ouvir. Sua humildade e gentileza são características suas, notoriamente reconhecidas. Já atuei em Luziânia e Padre Bernardo,  participei de outros encontros como magistrado destas comarcas, mas agora a experiência é diferente, pois estou presente como juiz auxiliar da Corregedoria e isso muito me engrandece. A marca desta gestão que é sempre atender bem e ouvir sempre está intrínseca neste encontro”, realçou Ricardo Dourado.

Participaram da reunião institucional os juízes Reinaldo de Oliveira Dutra, Sirlei Martins da Costa, e Jussara Cristina de Oliveira Louza, auxiliares da Presidência do TJGO; Paulo César Alves das Neves, coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), Helenita Neves de Oliveira e Silva, secretária-geral da CGJGO,  Clécio Marquez, diretor de Planejamento e Programas da CGJGO. magistradas e magistrados, diretoras e diretores de área do TJGO e da Corregedoria, servidoras e servidores que compõem a 7ª Região Judiciária.

Ainda estiveram presentes Fabrício Duarte, presidente do Sindicato dos Servidores e Serventuários da Justiça do Estado de Goiás (Sindjustiça), e Moisés Bento, presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores do Estado de Goiás (Sindojusgo).  

Reunião reservada e participações

Na sequência, foi promovida também uma reunião reservada com as magistradas e magistrados que compõem a 7ª Região Judiciária com a participação do corregedor-geral. Dirigindo-se aos colegas magistrados, o desembargador Nicomedes Domingos Borges evidenciou o intuito da reunião que não é apenas de fomentar um bom relacionamento entre o primeiro grau de jurisdição e todos os seguimentos do Poder Judiciário, mas de estreitar os laços com a população. 

“O tratamento que devemos dar aos jurisdicionados deve ser o melhor possível; a conjuntura do universo entre servidores e juízes, que também é fundamental, deve sempre primar pela excelência com a gestão das unidades judiciárias em que atuamos, pelo diálogo franco, pela cordialidade e respeito. Precisamos ter a consciência de que, como servidores públicos, prestar um serviço jurisdicional de qualidade, célere e humanizado, é mais que um dever, é uma missão”, reforçou.

Segundo o corregedor-geral, o encontro visa também incutir no juiz de primeiro grau de jurisdição a necessidade de ouvir a comunidade e de se sensibilizar com os problemas sociais por ela vivenciados. “Nesse panorama, a função jurisdicional precisa acompanhar todo esse movimento inovador e adaptar-se a essa realidade, hoje mais complexa com a pandemia da Covid-19”, alertou.

Para o desembargador, o cidadão precisa perceber que as mudanças são inerentes ao aprimoramento das instituições e enxergar que o Judiciário pode espelhar inovações, viabilizando outras maneiras que superem o modelo tradicional, a exemplo do Encontro Regional On-line.

“Conto então com a colaboração de cada um de vocês que tem desempenhado seu papel de maneira brilhante e comprometida para superar as barreiras que insistem em distanciar essa relação – Justiça e sociedade. Que permaneça intrínseca em nós a compreensão de que, antes de tudo, cabe a qualquer magistrado servir ao princípio universal da Justiça com um atendimento digno a todos os cidadãos”, reiterou.
 
Audiência pública

Com 64 participantes, foi promovida no período da tarde a audiência pública voltada para atender aos anseios da população local, estabelecendo, assim, um diálogo direto da comunidade com a Justiça. Prontamente aberto e preparado para receber as manifestações, o juiz Altair Guerra, que representou no ato o corregedor-geral da Justiça de Goiás, desembargador Nicomedes Domingos Borges, lembrou que esse momento deve ser visto sob a perspectiva do usuário da Justiça.

“Hoje estamos abertos para ouvir e enxergar as questões sob o prisma do advogado, na ótica do MP, da Polícia Judiciária, dentre outros. Nosso objetivo é avançar sempre e oferecer ao cidadão um serviço de maior qualidade. Estou certo de que sairemos daqui melhores do que chegamos”, avaliou.  

Já o juiz Aldo Sabino, representando o presidente do TJGO, desembargador Carlos Alberto França, mais uma vez falou sobre a importância do Encontro Regional On-line e reiterou o foco da Presidência do TJGO nesta gestão que é a efetiva prestação jurisdicional. “Em tempos de pandemia precisamos investir em material humano, equipamentos e novas tecnologias. Essa é a nossa finalidade e o objetivo precípuo do nosso presidente”, pontuou.   

A oportunidade de aprendizado, salutar à Justiça goiana e em especial ao Entorno do Distrito Federal, foi destacada pela juíza Flávia Morais Nagato, bem como a importância da união entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e entre as instituições diversas da sociedade civil como o Ministério Público e a advocacia.  

Marcaram presença na audiência pública os juízes Camila Nina Erbetta Nascimento, Ricardo Dourado, auxiliares da CGJGO; juízas Célia Regina Lara, titular do Juizado da Infância e da Juventude de Luziânia; Ítala Schmidt, do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Luziânia; e Roberta Wolpp Gonçalves, diretora do Foro de Cidade Ocidental.

Participaram, ainda, Helenita Neves de Oliveira e Silva, secretária-geral da CGJGO; Clécio Marquez, diretor de Planejamento e Programas da CGJGO, equipes do TJGO e CGJGO, representantes da OAB-GO (Subseção), do Ministério Público, e de vários segmentos da sociedade que fazem parte da 7ª Região Judiciária.



Valorizando o servidor com capacitações contínuas

Nos dois primeiros dias do Encontro Regional On-line da 7ª Região Judiciária foram propiciadas oito capacitações em Processo Judicial Digital Cível (PJD) – Ferramentas e Estratégias para uma Gestão Eficiente – 1 e 2 (124 capacitandos) , PJD Criminal (56 capacitandos), Centro Judiciário de Soluções e Conflitos e Cidadania - Cejusc (20 capacitandos), Proad, Extrajudicial - 1  e 2 (58 capacitandos), Gestão das Unidades Judiciais - Atualizações do Sistema Controle (56 capacitandos), Boas Práticas dos Conselhos de Comunidade (28), e Atualização para os Assessores de Primeiro Grau (60 capacitandos, sendo estas três últimas novidades desta edição. O número de capacitandos chegou a 422.   

Também houve um momento de interatividade com a explanação de um painel motivacional pela equipe da Diretoria de Recursos Humanos do TJGO (171 participantes), um painel jurídico inovador com a exposição do juiz Guilherme Sarri Carreira, da comarca de Bom Jesus de Goiás, e a mediação do juiz Altair Guerra (127 participantes), reuniões institucionais com representantes do Extrajudicial (57 participantes) e gestores administrativos do Programa Pai Presente nas comarcas do interior (16 participantes), outra inovação desta edição.

Integram a 7ª Região Judiciária, além de Luziânia, as comarcas de Águas Lindas, Alexânia, Cidade Ocidental, Cristalina, Novo Gama, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

Sobre o Encontro Regional On-line

O Encontro Regional On-line é um desdobramento do Programa Encontros Regionais, até então realizado presencialmente em cada região judiciária agraciada com o evento. No entanto, com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a implementação do trabalho remoto no âmbito do Poder Judiciário, a CGJGO deliberou pela realização do evento no formato on-line. Todos os esforços e recursos digitais foram empreendidos para que o encontro pudesse ser realizado por videoconferência em ambiente totalmente virtual.

Para a tomada desta decisão, a CGJGO levou em consideração a Portaria Conjunta nº 01/2020, do TJGO e da CGJGO, de 12 de março deste ano, que dispõe sobre a situação mundial do novo coronavírus como pandemia, e o risco potencial dessa doença infecciosa (COVID-19) atingir a população mundial de forma simultânea. Tal ato normativo determinou o cancelamento de todos os eventos públicos com grande aglomeração de pessoas, agendados para se realizarem nas dependências do Poder Judiciário de Goiás.

O evento é realizado pela plataforma eletrônica “Zoom Meetings”, ferramenta de videoconferência voltada para ambientes corporativos, que suportam reuniões com múltiplos participantes. A coordenação está sob a responsabilidade da Diretoria de Planejamento e Programas da CGJGO, a qual conta com o eventual suporte da Diretoria de Tecnologia da Informação. (Texto: Myrelle Motta - Diretora de Comunicação Social da CGJGO/Prints e edição de imagem: Acaray Martins – Centro de Comunicação Social do TJGO)

Fale conosco sobre esta página