O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida da comarca de Goiânia, preside, na segunda-feira (25), duas audiências de instrução preliminar de acusados de envolvimento em crimes relacionados a torcida organizada.

A primeira audiência será na 3ª Vara dos Crimes Dolosos da comarca de Goiânia, às 08h30. O réu Marcos Henrique Rodrigues Oliveira, torcedor do Vila Nova, será ouvido pelo crime cometido contra Matheus Capuzo Lourenço Martins, da torcida do Goiás Esporte Clube, em 25 de agosto de 2018.

Consta dos autos que Marcos Henrique Rodrigues Oliveira, acompanhado de José Amâncio Pereira Neto, Ridaam Morais Martins e Adysson Nathan Alves Estevo, que já foram interrogados, perseguiram e mataram Matheus Capuzo com disparos de arma de fogo. Marcos Henrique desferiu os díiparos e os demais concorreram de outras formas para a execução do crime.

No dia do fato, a vítima e mais quatro amigos estavam em um bar no Setor Itatiaia, assistindo a uma partida de futebol entre as equipes de Goiás e Vila Nova e, após o término, todos saíram do bar e entraram em um veículo. Ao deixarem o bar, cruzaram, no caminho, com o carro dos réus. Neste momento, um dos denunciados gritou: “olha lá os moxés”, se referindo à vítima e seus amigos, torcedores do Goiás Esporte Clube.

Assim, Marcos Henrique, José Amâncio, Ridaam Morais e Adysson iniciaram uma perseguição aos torcedores do Goiás. José dirigia o veículo, tendo Ridaam ao seu lado e os demais no banco traseiro do Fiat Siena. Segundo os autos, a todo instante Marcos Henrique portava ostensivamente uma arma de fogo. A perseguição seguiu por aproximadamente quatro quilômetros, até que no sinaleiro da Avenida Perimetral Norte, em frente ao Shopping Passeio das Águas, o veículo em que estavam as vítimas foi obrigado a parar, vez que o sinal estava fechado e havia carros na frente. Nesse instante, os réus desceram e iniciaram as agressões a Matheus Capuzo e seus amigos. Marcos Henrique desferiu vários disparos contra a vítima.

Segunda audiência

A segunda audiência, também na segunda-feira (25), terá início às 9h30 , também na 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida da comarca de Goiânia. Gabriel Inácio Gonçalves Itacarambi, torcedor do Goiás, também será ouvido pelo crime cometido contra Kayo Rodrigo dos Santos Soares, da torcida do Vila Nova.

Consta que no dia do fato, por volta das 21h30, o ônibus ocupado pela vítima e outros torcedores vilanovenses saiu do Terminal Garavelo com destino ao Setor Jardim Itaipu. Segundo a peça de acusação, durante o trajeto, o veículo foi seguido por três carros e duas motocicletas, ocupados por torcedores do Goiás Esporte Clube, que emparelharam junto ao coletivo e passaram a proferir ameaças contra a vítima e os demais passageiros. Um destes veículos tinha como proprietário Gabriel Inácio.

O denunciado e outros torcedores do Goiás fecharam o ônibus, obrigando-o a parar. Em seguida, eles foram ao encontro dos torcedores do Vila Nova, quando iniciaram-se as agressões. Em uma tentativa de fugir da confusão, Kayo Rodrigues dirigiu-se para a pista, onde foi alcançado e atropelado pelo veículo conduzido por Gabriel Inácio, onde, não satisfeito com o atropelamento, passou a espancar Kayo com socos e pontapés, utilizando, ao final, o facão que levava consigo, ferindo a cabeça da vítima.

Mesmo com os ferimentos, Kayo Rodrigues conseguiu levantar-se e encontrar ajuda junto ao restante dos torcedores que estavam no ônibus. A vítima foi conduzida até o hospital, onde recebeu atendimento médico, conseguindo, assim, sobreviver. (Texto: Thielly Bueno – estagiária do Centro de Comunicação Social)

Fale conosco sobre esta página