O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Walter Carlos Lemes, empossou nesta segunda-feira (4) os novos diretores de Foro e de área para o biênio 2019-2021. A solenidade foi realizada no novo auditório do TJGO, no Setor Oeste, reunindo magistrados e servidores.

Com mais de 80 milhões de processos em tramitação no Judiciário brasileiro, a sobrecarga de trabalho aos servidores e juízes do País é uma das maiores do mundo, conforme destacou o presidente em seu discurso. “Mesmo diante do grande volume, contudo, o Conselho Nacional de Justiça reconhece o Judiciário goiano como um dos mais produtivos no cenário brasileiro. Essa é a minha preocupação, em oferecer um ambiente de qualidade para propiciar um bom trabalho”, destacou, em referência aos prêmios concedidos ao Judiciário goiano, como os selos de qualidade.

Para abrir a solenidade, o juiz titular de Uruaçu, Leonardo Naciff, prestou juramento de compromisso regimental. Representando os magistrados que tomaram posse, o juiz Rodrigo Brustolin, titular da 3ª Vara Cível de Rio Verde discursou em nome dos demais. Na comarca, com mais de 200 funcionários, entre servidores efetivos, terceirizados e estagiários, o magistrado terá a função de cuidar de processos administrativos, lotações e até de questões estruturais, como reformas. Para ele, assumir a diretoria do Foro da comarca – na qual está há seis anos – é uma responsabilidade. “Agradeço a confiança depositada em mim e, assim como os demais, pretendo realizar um trabalho profícuo”, sintetizou. 

Em nome dos diretores de área técnicas, Rodrigo Leandro, novo diretor-geral, falou sobre a responsabilidade e os desafios de assumir o cargo. O servidor, que já atuou com Walter Carlos durante presidência no Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), no biênio 2014-2016, falou sobre sua experiência, regida por “ética, trabalho e eficiência”.

Dentre os avanços, sob a regência do então presidente, ele citou o recadastramento biométrico simultâneo em 98 municípios – que colocou Goiás no primeiro lugar do ranking da biometria –, conquista inédita do selo Ouro Justiça em Números, Central de Atendimento ao Eleitor e sistema de votação digital no plenário da Corte.

“Para conseguirmos atingir o objetivo de modernização e informatização do Poder Judiciário goiano, conforme diretriz de nosso presidente, nós teremos de lançar mão de ferramentas de governança e não existe governança sem liderança, que se faz com exemplo. Nesse ponto, é grande nossa responsabilidade como diretores, ao darmos exemplo diário perante nossas equipes, de comprometimento, retidão e foco no resultado, sem deixar de lado o bom trato com nossos colegas e público externo”.

 

O ouvidor do Poder Judiciário de Goiás, desembargador Carlos Alberto França, falou da importância do ato e reafirmou o compromisso do órgão que está à frente em contribuir com a rotina dos juízes do interior. “A Ouvidoria terá um canal direto com magistrados que formularem requerimentos administrativos, com servidores designados especialmente para acompanhar as demandas. O magistrado deve dispensar sua energia para sua função primordial, que são as atividades judicantes”.
Ao fim, Carlos Alberto França cedeu alguns exemplares do livro de sua autoria, a obra Processo Administrativo Disciplinar no Poder Judiciário do Estado de Goiás, produzida em parceria com o servidor de seu gabinete, José Eduardo Garrido Gomes, para ser sorteada aos novos diretores de Foro. “Acredito que a obra pode ser útil no dia a dia da função”, completou o desembargador. (Centro de Comunicação Social- Texto: Lilian Cury/ Fotos: Aline Caê)

Fale conosco sobre esta página