O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri da comarca de Goiânia, presidirá, nesta quinta-feira (21), o júri popular de Sileildo Francisco da Silva, 31 anos, e Jaziel Rosa dos Santos, 49 anos, acusados de matar o policial civil Kleber César de Farias, 37 anos. A sessão terá início às 8h30, no Fórum Cível Heitor Moraes Fleury, no Park Lozandes, em Goiânia. 

O crime ocorreu em Morrinhos, mas, por uma decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), veio desaforado para Goiânia, uma vez que o caso poderia ficar comprometido devido à vítima ser um policial civil e os jurados atuarem na cidade de Morrinhos. 

Da ação penal proposta pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) consta que no dia 24 de outubro de 2017, no interior de um imóvel, no setor Cristina Parque, em Morrinhos, Sileildo da Silva, pela promessa de uma recompensa feita por Jaziel dos Santos, emboscou Kleber Farias, desferindo vários golpes de faca, que foram a causa da sua morte. 

Sileildo da Silva atacou Kleber Farias de surpresa, sem lhe possibilitar chance de defesa em razão da ação dos repetidos golpes de faca, causando-lhe duas lesões no pescoço e quatro no tórax. 

Segundo a denúncia, Jaziel dos Santos encomendou a morte de Kleber Farias em razão de desentendimentos decorrentes da sociedade informal que existia entre ambos. Os dois atuavam na construção de casas populares para venda financiada, sendo Jaziel dos Santos responsável pela contratação de mão de obra e supervisão dos serviços, enquanto Kleber Farias se responsabilizava pela parte financeira. 

Dias antes de sua morte, Kleber Farias havia demonstrado insatisfação com a qualidade das obras e gastos desnecessários na reparação das falhas, exigindo melhor atuação de Jaziel dos Santos e dos profissionais que com ele laboravam, tendo, com isso, desagradado o sócio. 

Consta nos autos que a relação societária ancorada na confiança, os imóveis construídos eram registrados em nome de Lorrainy Rosa dos Santos Patrício, filha de Jaziel dos Santos. Duas casas constavam como de sua propriedade, sendo esse o segundo motivo que levou à morte de Kleber Farias. 

Sileildo da Silva, após cometer o crime, ainda subtraiu, para si, o iphone e motocicleta da vítima. 

Qualificadoras 

Os réus estão presos desde o dia 24 de outubro de 2017. Jaziel dos Santos é acusado por homicídio com as qualificadoras de promessa de recompensa, motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima, e Sileildo da Silva é acusado por homicídio triplamente qualificado (por motivo mediante ao pagamento de recompensa, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima) e furto. (Texto: estagiária Thielly Bueno/Centro de Comunicação Social)

Fale conosco sobre esta página