A cidade que foi por mais de 200 anos capital do Estado de Goiás recebe, nestas segunda e terça-feiras (29 e 30), o programa Acelerar Previdenciário. A iniciativa é do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) e tem como objetivo tornar ágil o julgamento de ações repetitivas e complexas. O dirigente do Núcleo Gestor do Programa Justiça Ativa e Previdenciário, desembargador Guilherme Gutemberg Isac, abriu os trabalhos na antiga capital.

O desembargador visitou todas as bancas montadas no fórum, conversou com os juízes participantes, com servidores e jurisdicionados. Durante os dois dias do mutirão, serão realizadas mais de 250 audiências. O desembargador Guilherme Gutemberg ressaltou a alegria em fazer a abertura dos trabalho na cidade onde ele cresceu. “Estou muito feliz, pois além de sentir filho de Goiás, estamos trazendo esse evento para a cidade que beneficiará e, ao mesmo tempo, atenderá a demanda e a necessidade de toda a região”, frisou.

De acordo com desembargador, o presidente do TJGO, desembargador Walter Carlos Lemos, em sua gestão atual está priorizando o atendimento aos jurisdicionados e  aos advogados, também por meio de programas que ajudam a tornar mais ágil o andamento processual para todos aqueles que dependem  do Judiciário. “Agradeço a todos os magistrados da comarca por nos receberem e aos colegas juízes que se deslocaram de suas comarca para auxiliarem nos trabalhos, aos servidores e advogados. Estamos aqui para prestar esse serviço para quem realmente precisa. Quem ganha é a população. Obrigado a todos e contem com o apoio do Judiciário goiano”, frisou, ao declarar aberto os trabalhos.

Passado histórico e demanda processual
"Goiás Velho", como ainda costuma ser chamado por moradores, tornou-se Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, título que lhe foi concedido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). A cidade foi fundada por bandeirantes e se desenvolveu às margens do Rio Vermelho.

Esse passado cheia de história reflete na Justiça local. Segundo dados da diretoria do foro local, tramitam na comarca cerca de 6,3 mil processos, demanda considerada muito alta pelos magistrados que atuam na comarca. Além disso, o município é de grande extensão rural, tendo, ainda, Buenolândia, Caiçara, Calcilândia, Davidópolis, Faina, Jeroaquara, São João e Uvá como distritos judiciários da comarca.

O diretor do Foro local, titular do Juizado Especial Cível e Criminal, juiz Luís Henrique Lins Galvão de Lima, destacou a alta demanda previdenciária na comarca e ressaltou a importância da iniciativa para o jurisdicionado. Segundo ele, o programa é eficaz e eficiente, uma vez que dá agilidade no julgamento para esse tipo de demanda.  “Em nome do desembargador, agradeço ao TJGO pelo apoio  e aos colegas que deixam suas próprias comarcas para nos ajudar. Tenho a certeza que nesses dois dias de trabalho o ideal de Justiça prevalecerá”, ressaltou o magistrado.

Além do diretor do Foro e da juíza Alessandra Gontijo, os juízes João Corrêa de Azevedo Neto, Jorge Horst Pereira, Ronny André Wachtel, Maria Clara Merheb Gonçalves Andrade, Marianna de Queiroz Gomes, Everton Pereira dos Santos também participaram do evento. (Texto: Arianne Lopes / Fotos: Ariston Jorge– Centro de Comunicação Social do TJGO)

Fale conosco sobre esta página