O isolamento social recomendado como ação necessária para conter a propagação do novo coronavírus e o aumento de casos da Covid-19, levaram as autoridades a adotarem uma série de medidas que mudaram a forma de trabalho, o funcionamento de órgãos públicos e de empresas, enfim, uma transformação na vida de toda a sociedade. Em um dos decretos relacionados ao assunto expedido pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Walter Carlos Lemes, foi instituído o teletrabalho como regime preferencial. E, em virtude da urgência da situação e primando pela proteção do seu público interno e externo, de um dia para o outro, magistrados e servidores deveriam desempenhar as funções de suas casas – o chamado home office.

Apesar do isolamento social, a #ajustiçanãopara e a Presidência do TJGO tem divulgado, no portal, os números e análises da sua produtividade neste período de teletrabalho, tanto as informações da prestação jurisdicional, quanto da parte administrativa. Neste material, são apresentados depoimentos de magistrados e servidores sobre como tem sido essa experiência. Confira aqui. (Texto: Daniela Becker / Foto: banco de imagens - Centro de Comunicação Social do TJGO).

Fale conosco sobre esta página