Todas 127 comarcas do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) estão, agora, com alta velocidade de links para transmissão de dados, chegando a 200 Mega. Em alguns fóruns, o aumento foi de 1250% na velocidade, oferecida por fibra óptica e/ou sinal de rádio. A novidade significa maior velocidade de acesso à internet que traz, entre outras vantagens, possibilidade de teleconferências, transmissão de imagem e voz e dados – que podem ser usados para audiências e plataformas de ensinos a distância.

Segundo o diretor de Informática do TJGO, Anderson Yagi Costa, a velocidade se adequa à realidade digital do Poder Judiciário goiano. “A medida visa melhorar o acesso a sistemas informatizados como Processo Judicial Eletrônico (Pje) e Processo Administrativo Digital (Proad) e, dessa forma, melhorar as condições de trabalho e a prestação jurisdicional”.

O Juizado da Infância e Juventude de Goiânia foi uma das unidades judiciárias onde mais foi notado o avanço: os links saltaram de 8 Mega para 200 Mega. Segundo o assistente administrativo Gustavo Almeida de Oliveira, “a internet, que já era boa, está ainda melhor para acessar o webmail e o Proad – sistema indispensável para procedimentos internos”. Em Anápolis, o ganho foi similar, de 20 Mega para 200 Mega. “Antigamente, tínhamos problema de acesso e algumas dificuldades, o que acredito que foi sanado agora”, conta a secretária do Foro da comarca, Lina de Clemente.

Mudança

Para aprimorar a velocidade de transmissão de dados, foi necessário alterar a operadora responsável e substituir a tecnologia utilizada por prover internet às unidades judiciárias de Goiás, conforme explica o responsável pelo projeto, Giuliano Silva Oliveira, da Divisão de Infraestrutura Tecnológica.

Segundo ele, a equipe técnica optou por fazer projeto focado em SLA (em português Nível de Acordo de Serviço), sem especificar tecnologia e ainda permitindo a formação de consórcio para a entrega do serviço. Como estratégia para atrair mais empresas para a disputa, foram convidados a Secretaria da Fazenda (atualmente Secretaria da Economia do Estado de Goiás) e o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) para participarem do projeto, podendo, mais tarde, outros órgãos aderirem.

“Essa estratégia atraiu diversos competidores para a licitação e propiciou uma grande concorrência, que nos surpreendeu quando o resultado final do pregão demonstrou que as velocidades totais de todos links sofreriam um aumento superior a 11 vezes, mas os custos mensais reduziriam em cerca 50% quando o projete estivesse concluído em sua totalidade”, destacou Giuliano.

Além de melhorar a velocidade, o novo contrato representou economia para o Poder Judiciário. Anteriormente, o custo mensal médio era de R$ 700 mil para atender a todo o Estado, chegando, em alguns meses, a R$ 800 mil. No atual contrato, mesmo com expressivo aumento de link de dados, o custo é de R$ 302 mil. “Contudo, o contrato baseado em SLA permite uma melhor gestão no acompanhamento da prestação do serviço. As cláusulas de penalidades por descumprimento permitem à aplicação de glosa e de multas que reduzem significativamente os valores presentes no contrato. Embora esse não seja o objetivo da TI, gera mais economia de valores. Como exemplo, no mês de setembro desse ano foi aplicado, somente em glosa de fatura, um desconto de aproximadamente R$ 70 mil”, contou o diretor. (Texto: Lilian Cury - Centro de Comunicação Social do TJGO)

Fale conosco sobre esta página