A juíza Placidina Pires, titular da Vara dos Feitos Relativos a Organizações Criminosas e Lavagem de Capitais, manteve a prisão temporária de sete investigados na Operação Cegueira, deflagrada pela Polícia Civil de Goiás e que investiga fraude em processo licitatório no Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO). A audiência de custódia foi realizada nesta sexta-feira (8) e, além de manter a prisão dos acusados, a magistrada autorizou buscas e apreensões nos endereços dos detidos e bloqueio de bens para eventual reparação de danos, pagamento a possíveis vítimas e indenização ao erário. 

Com a decisão, seguem detidos os investigados: Daniel Ganda dos Santos, Sérgio Augusto Nunes Pinto, Wederson da Silva Viana, Rosana Ribeiro da Silva, Vagner Pedroso Coavila, Carlos Henrique Senkio e Marcelo Augusto Sampaio Martins.

A investigação da Polícia Civil apura prática de crime por organização criminosa, corrupção ativa e passiva e fraude a licitação, entre outros delitos relacionados ao processo licitatório de vistoria veicular, ocorrido em 2014.

A juíza Placidina Pires afirma que “a prisão temporária dos investigados não foi decretada apenas para que fosse realizado seus interrogatórios, mas principalmente porque a constrição cautelar se mostra imprescindível para a continuidade das investigações, mormente considerando a complexidade dos fatos investigados e quantidade de integrantes que participariam da suposta organização criminosa em tela.” Prossegue a magistrada: “Verifico, também, que as investigações policiais não foram concluídas, havendo diligências em curso que possivelmente serão prejudicadas com a liberdade dos investigados, notadamente considerando a necessidade de ser impedida a instrução de outras pessoas que ainda serão ouvidas no decorrer das investigações, combinando os relatos a serem prestados.” (Texto: Daniela Becker - Centro de Comunicação Social do TJGO).

Fale conosco sobre esta página