As equipes de apoio do Programa de Auxílio e Aceleração de Julgamentos começaram, nesta segunda-feira (5), a atuação nas primeiras unidades judiciárias de comarcas do interior. Durante 45 dias, o trabalho será realizado nas comarcas de Niquelândia, São Miguel do Araguaia, Cavalcante, Porangatu, Posse e Alto Paraíso de Goiás.

O Programa de Auxílio e Aceleração de Julgamentos foi instituído pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Carlos Alberto França, com o objetivo de diminuir o acervo processual no primeiro grau de jurisdição. O programa teve início em março pela comarca de Goiânia.

“Esse programa é um importante projeto da nossa gestão, que busca agilizar a prestação jurisdicional no primeiro grau de jurisdição, bem como no segundo grau. Ainda, os critérios sugeridos para início dos trabalhos são relevantes para a implementação do programa nas comarcas do interior”, avalia Carlos França.

De acordo com o juiz auxiliar da Presidência, Aldo Guilherme Saad Sabino de Freitas, que coordena o Núcleo de Aceleração de Julgamentos e de Cumprimento de Metas da 1ª Instância (NAJ de 1ª Instância), “as primeiras unidades judiciárias foram escolhidas pela relevância social do auxílio, tema (previdenciário), menor complexidade, treinamento da equipe de assessores e número de autos conclusos, com o consenso de todos envolvidos e anuência do presidente Carlos França.”

Magistrados
Para os trabalhos, foram designados os seguintes magistrados: Carlos Henrique Loução, para a 2ª Vara Judicial da comarca de Porangatu; Eduardo Cardoso Gerahrt, para a comarca de Cavalcante; Eduardo Tavares dos Reis, para a 2ª Vara Judicial da comarca de Niquelândia; Fernando Marney de Oliveira Carvalho, para a 2ª Vara Judicial da comarca de Posse; Pedro Piazzalunga Cesário Pereira, para a comarca de Alto Paraíso de Goiás, e Rodrigo Melo Brustolin, para a 2ª Vara Judicial da Comarca de São Miguel do Araguaia. (Texto: Daniela Becker - Centro de Comunicação Social do TJGO).

Fale conosco sobre esta página