Com celebração de um culto ecumênico nesta quarta-feira (15), o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) comemorou seus 145 anos de instalação e os 80 anos da Academia Goiana de Letras (AGL). O evento contou com a presença do presidente do TJGO, desembargador Walter Carlos Lemes, do presidente da Comissão de Cultura do TJGO, desembargador Itaney Francisco Campos, assim como de desembargadores, juízes, servidores do Judiciário goiano, integrantes da AGL e representantes da área cultural goiana.

O desembargador-presidente ressaltou, em seu discurso, a alegria e felicidade em poder comemorar “nesta data memorável, os 145 anos de instalação do TJGO e também os 80 anos da AGL”. Walter Carlos Lemes homenageou a presidente da AGL, Lêda Selma de Alencar, com um diploma de honra ao mérito. “Nada mais enaltecedor para a academia receber uma homenagem do Judiciário goiano que, neste momento, também comemora seus 145 anos de instalação, data tão importante para o Estado de Goiás”, ressaltou a escritora.

Para o desembargador Itaney Francisco Campos, “este é um evento de grande significado espiritual e histórico. Ao mesmo tempo em que se cultua a memória, cultiva-se a espiritualidade, dois valores fundamentais para o desenvolvimento da sociedade humana”. Conforme ressaltou, “várias razões justificam que comemoremos juntos o aniversário de nossas entidades. A primeira é que o Tribunal tem como razão de ser a distribuição equitativa da Justiça, que, na dimensão ética, é do mais alto ideial da atividade humana, como preconizavam os gregos. A academia busca a realização da beleza, na sua dimensão estética, atividade que dignifica o homem e o distingue na escala zoológica, tornado-o único e o mais belo filho da natureza”.

Conforme ressaltou o desembargador, ao longo de sua existência, a AGL homenageou luminares da magistratura, e acolheu outros que conciliaram a atividade judicante com o cultivo das letras. “O Tribunal faz justiça ao homenagear a academia, entidade cultural mais importante do Estado”, salientou o presidente da Comissão de Cultura do TJGO.

Celebrantes

O culto ecumênico foi celebrado pelo representante da comunidade espírita, desembargador Luiz Eduardo de Sousa e pela pastora Nilda Dorneles, da Igreja Evangélica Santuário Bethel. Em nome da Igreja Católica, falou o desembargador e diácono Delintro Belo de Almeida Filho. O evento, realizado no Auditório Desembargador José Lenar de Melo Bandeira, na sede do TJGO, contou com a apresentação musical de Gabrielly Santos (violino), Grace Ribeiro (voz) e Neuber Oliveira (teclado). Após o término do culto, os integrantes da Academia Goiana de Letras, acompanhados do assessor cultural do TJGO, Gabriel Nascente, conheceram a nova sala da  Pinacoteca Desembargador Camargo Neto (foto abaixo).

Transferência para Goiânia

Com a transferência da antiga capital para Goiânia, em 16 de março de 1937, o TJGO foi instalado num prédio ao lado do Palácio das Esmeraldas, na Praça Cívica, pelo desembargador Antônio Perilo. Em 27 de junho de 1986, sob a presidência do desembargador Geraldo Crispim Borges, a Justiça do 2º Grau de Goiás ganhou nova sede, localizada na Avenida Assis Chateaubriand, nº 195, e que, atualmente, passou por ampliação e reforma em todo o prédio, que leva o nome do desembargador Clenon de Barros Loyola, que foi presidente do TJGO em 1971.

Ao longo da existência do Tribunal, que revelam bons momentos e grandes acertos no cumprimento dos ideais de Justiça desde a sua inauguração, várias foram as ações implementadas com a máxima eficiência, todas voltadas para a ampliação do acesso à Justiça, para a otimização do trâmite processual, para a pacificação dos conflitos, tornando-se, inclusive, uma Justiça pioneira em conciliação, para a modernização tecnológica dos sistemas, para a responsabilidade social, para a integração de todos os órgãos ligados à Justiça, para o fortalecimento da sua comunicação com os públicos externo e interno e, finalmente, para a garantia de amplo respeito aos valores éticos e morais.

Presenças

O evento contou ainda com a presença dos representantes do governador Ronaldo Caiado, secretário de Estado da Casa Civil Anderson Máximo de Holanda; e do prefeito Iris Rezende Machado, procurador do Município de Goiânia, Rafael Kriek Lucena Cavalcante. Também participaram o procurador-geral de Justiça de Goiás Aylton Flávio Vechi, secretário de Cultura do Estado Edival Lourenço de Oliveira, entre outros. Veja a galeria (Texto:Lílian de França /Fotos: Wagner Soares– Centro de Comunicação Social do TJGO)

 

Fale conosco sobre esta página