O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Walter Carlos Lemes, se reuniu, nesta quarta-feira (14) em seu gabinete, com representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para tratar de detalhes da implantação do Sistema Eletrônico de Execução Unificado (Seeu). A intenção é padronizar e qualificar o sistema de execução penal em todo o País, com uso obrigatório do mesmo procedimento.

Participaram do encontro o desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, Marcelo Gobbo Dalla Dea, que está a serviço do CNJ no comitê gestor de Tecnologia de Informação do Poder Judiciário Nacional; Albino Coimbra Neto, coordenador do Seeu; e o gestor nacional do sistema, Túlio Dantas. De Goiás, estiveram presentes o juiz auxiliar da presidência Cláudio Henrique Araújo de Castro e o diretor-geral do TJGO, Rodrigo Leandro da Silva.

Durante a reunião, o presidente do TJGO afirmou que seu “grande anseio é colocar o Judiciário goiano na vanguarda da tecnologia e modernizar o aparato técnico, a fim do bom funcionamento do sistema”. Segundo o desembargador Marcelo Gobbo, o CNJ pretende acompanhar a implantação do Seeu e fazer com que o sistema entre em operação o mais rápido possível, analisando o que é possível melhorar e entendendo as limitações e particularidades de cada Tribunal”.

Até o momento, o Seeu já é usado em 17 unidades da federação e está em processo de implantação em outras três. Um dos principais objetivos do sistema é permitir um retrato fiel e atualizado dos processos de execução penal no país, superando a inconsistência nos dados e permitindo uma melhor gestão do sistema penal a partir de recortes específicos.

Início
A apresentação e capacitação do Seeu para cerca de 70 servidores da execução penal foram promovidas nesta terça-feira (13), na Escola Judicial do TJGO (Ejug). O juiz auxiliar da Presidência do TJGO, Cláudio Henrique Araújo de Castro, explicou que o sistema nacional será obrigatório para todos os tribunais brasileiros até o fim deste ano. “O CNJ trouxe para Goiânia uma força-tarefa com 19 pessoas que vai se unir com os servidores que nós convocamos para iniciarmos essa implantação em Goiás”, afirmou. (Texto: Lilian Cury / Foto: Aline Caetano - Centro de Comunicação Social do TJGO)


Fale conosco sobre esta página