Titulares dos juizados especiais criminais da Goiânia reuniram-se, na manhã desta segunda-feira (8), com o diretor do Foro, juiz Átila Naves Amaral, no intuito de melhorar cada vez mais a prestação jurisdicional. Depois de visitar todos os juizados da capital, agora foi a vez do diretor do Foro receber os juízes que atuam nesses locais para compilar as reivindicações feitas durante os encontros.

A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) inocentou o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, José Macedo de Araújo, e o ex-secretário de Infraestrutura do município, Max dos Santos Menezes, da acusação de improbidade administrativa. Eles foram condenados em primeira instância à suspensão dos direitos políticos por 8 e 9 anos, respectivamente, por terem autorizado a realização de serviços de terraplanagem nas empresas Mabel, Ludiani e Atlanta.

O Juizado da Infância e Juventude de Goiânia, em parceria com o circo Tihany, proporcionou uma tarde de lazer e cultura para 356 crianças e adolescentes de Entidades de Acolhimento e de um Centro de Educação Infantil, acompanhados de educadores das instituições.

 A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) negou o recurso proposto pelo acusado Ricardo Araújo Teixeira e confirmou pronúncia proferida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 1ª Vara Criminal de Goiânia que, em março havia estabelecido o julgamento do réu pelo júri popular. Ricardo Araújo, integrante da torcida organizada Sangue Colorado, do Vila Nova Futebol Clube, é acusado do homicídio de Pâmella Munike Gonçalves, torcedora do Goiás Esporte Clube, em novembro de 2011. (Texto: Juliana Jácome - estagiária do Centro de Comunicação Social do TJGO).

Saiba mais:  Integrante de torcida organizada vai a júri por homicídio

Fale conosco sobre esta página