Em sessão ordinária realizada na tarde desta quarta-feira (23), a Corte Especial do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) escolheu o juiz Márcio de Castro Molinari (foto), da 1ª Vara Cível de Goiânia, para ocupar o cargo de 3º juiz-auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás (CGJGO), anteriormente exercido pelo juiz Sival Guerra Pires. O magistrado foi removido, pelo critério de merecimento, para o cargo de juiz substituto em segundo grau em 30 de junho e foi empossado no dia 10 de julho. A posse de Márcio Molinari está prevista para o dia 4 de agosto.

Para recompor a equipe de juízes-auxiliares da CGJGO, a corregedora-geral da Justiça de Goiás, desembargadora Nelma Branco Ferreira Perilo, submeteu ao colegiado, além de Márcio Molinari, outros dois nomes: juízes Eduardo Pio Mascarenhas e Roberta Nasser Leone.

Natural de Goiânia, Márcio Molinari, de 55 anos, tem 21 deles dedicados à magistratura goiana. É atualmente titular da 1ª Vara Cível de Goiânia e, com a escolha da Corte Especial, volta a assumir o cargo de juiz-auxiliar da Corregedoria, que já tinha exercido na gestão do desembargador Felipe Batista Cordeiro (biênio 2009/2011), quando tomou posse em 26 de março de 2010.

Formado em Direito pela Universidade Federal de Goiás (UFG), é especialista em Direito Civil e Processual Penal pela mesma unidade de ensino. Iniciou sua carreira jurídica como advogado, função que desempenhou até 1992 na capital, bem como a de professor da UFG, até ser aprovado em 3º lugar no concurso do Ministério Público de Goiás (MP-GO).

Assumiu então, na sequência, o cargo de promotor de Justiça na comarca de Mossâmedes em fevereiro de 1992 e permaneceu até janeiro de 1993. Ingressou na magistratura em 14 de janeiro de 1993, quando tomou posse como juiz substituto em Goiânia. Em 1º de fevereiro do mesmo ano, foi empossado como juiz substituto na comarca de Fazenda Nova.

Em 15 de junho de 1993, foi promovido, pelo critério de antiguidade, ao cargo de juiz de Fazenda Nova, onde atuou até 1998. Por merecimento, em 26 de agosto de 1998, foi promovido novamente, desta vez para a comarca de Anicuns. Em 2005, a promoção veio por antiguidade para a capital, cidade na qual tomou posse como titular da 1ª Vara Cível.

Experiente, o magistrado também foi juiz-auxiliar da Presidência do TJGO durante a administração do desembargador Vítor Barboza Lenza, no ano de 2011. Foi convocado diversas vezes para substituir no TJGO. É coautor, ao lado do magistrado tocantinense Sândalo Bueno do Nascimento, da obra jurídica Breves Anotações sobre Registro de Imóveis. (Texto: Myrelle Motta – assessoria de imprensa da Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás/Foto: Banco de Imagens do Centro de Comunicação Social do TJGO)

Fale conosco sobre esta página