À unanimidade, a Quinta Turma Julgadora da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Goiás (TJGO) manteve sentença proferida pelo juiz da comarca de Senador Canedo, Thulio Marco Miranda, que condenou o Estado de Goiás a indenizar uma estudante que sofreu queimaduras em acidente ocorrido no Colégio Estadual Pedro Xavier Teixeira. O voto foi relatado pelo desembargador Marcus da Costa Ferreira, que preservou os danos morais e estéticos em R$ 60 mil reais, divididos em partes iguais para cada um. De igual modo, o relator da Apelação Cível interposta pelo Estado de Goiás conservou os valores dos danos materiais, em R$ 80,50.

A juíza Lília Mônica de Castro Borges Escher foi designada pelo Decreto Judiciário nº 1.547/2020, para, de 6 a 31 de agosto, assumir o gabinete do desembargador  João Waldeck Félix de Souza, em razão de seu afastamento legal (licença-prêmio). Mesma terminação foi feita ao juiz substituto em segundo grau Wilson Safatle Faiad, que o substituirá de 1º de setembro a 4 de novembro. João Waldeck faz parte da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) e também compõe o Órgão Especial, ao lado de outros 16 integrantes.

Por causar extrema perturbação de sossego da vizinhança ao manter o som ligado em volume extremamente alto, a juíza Aline Freitas da Silva, da comarca de Pirenópolis, condenou Claudinei Sebastião de Almeida a pagar indenização por danos morais de R$ 2 mil reais ao seu vizinho José Simoa de Moraes. Na sentença, a magistrada confirmou a liminar deferida nos autos, para determinar que Claudinei se abstenha de realizar atividade que possa perturbar o sossego do autor de som mecânico, algazarra ou ruídos acima dos níveis permitidos, bem como o proibiu de utilizar som em veículo, no local, após às 22 horas.

É em nome do meu saudoso pai, Adjunio Carlos Lemes, o peão de boiadeiro, tocador de gado, que hoje homenageio todos os pais. Ao pensar nele e na paternidade, de modo geral, me vêm as palavras protetor, responsável, corajoso, guia, inspirador, exemplo, mestre, amigo, herói. Representando todas em apenas uma eu traduziria como “PAI”.

Neste Dia dos Pais nossa homenagem aos magistrados, servidores, terceirizados e estagiários que, além da dedicação em suas funções no Poder Judiciário goiano, exercem, com toda devoção, a paternidade. Viver esse papel significa misturar amor, alegria, cuidado e também preocupação em educar, proteger, em ser uma referência de ser humano.

Fale conosco sobre esta página