Com o intuito de estreitar o diálogo com a Associação Quilombo Kalunga e apontar alternativas para demandas relacionadas a essa comunidade, o corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Nicomedes Domingos Borges, e o juiz Ricardo Silveira Dourado, auxiliar da CGJGO, estiveram reunidos na tarde desta terça-feira (27) com dois representantes da entidade: Durval Fernandes Mota e Andrea Vulcanis. 

Na ocasião, foram discutidas possibilidades para solucionar questões relacionadas a propriedades locais, onde vivem os kalungas, especialmente no que tange à situação da Fazenda Bonito. Sempre primando pela cordialidade, o corregedor-geral colocou a Corregedoria à disposição de Durval e Andrea para averiguação da situação como um todo, buscando, assim, uma solução viável para o caso.  

Já o juiz Ricardo Dourado fez alguns esclarecimentos nesta seara e deu algumas orientações e sugestões a ambos, lembrando que os procedimentos do ponto de vista administrativo são mais limitados, mas que no campo jurídico as possibilidades são maiores. (Texto: Myrelle Motta - Diretora de Comunicação Social da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás/Edição de imagem: Hellen Bueno - Diretoria de Planejamento e Programas da CGJGO)