Rafael dos Santos Rodrigues foi condenado a 12 anos e 6 meses de reclusão, em regime fechado, pelo crime de homicídio qualificado pelo uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, cometido contra Vilmony Mendez Queiroz, em 8 de junho de 2014. Segundo a denúncia, o crime aconteceu após uma abordagem de cunho sexual feita pela vítima. As teses apresentadas pela defesa, de legítima defesa e lesão corporal seguida de morte, não foram aceitas pelos jurados. A sentença é do juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida da comarca de Goiânia.

Conforme consta dos autos, por volta das quatro horas da madrugada, Rafael estava no interior da boate Total Flex,na época situada na Avenida República do Líbano, no Setor Oeste, em Goiânia, quando Vilmony apertou suas nádegas e saiu. Nesse momento, Rafael foi atrás da vítima, iniciando uma discussão. Ele começou a xingá-la e apontar o dedo na sua direção, tendo também desferido dois tapas em Vilmony e o ameaçado de morte. Outras pessoas separaram Rafael e Vilmony, tendo ambos sido levados para lados opostos da boate.

Em seguida, Vilmony dirigiu-se para uma mesa de sinuca próxima à porta de entrada do estabelecimento, onde se sentou ao lado do seu amigo, Jardson de Sousa Barbosa. Rafael foi a procura dele e desferiu um golpe de faca na região torácica, atingindo-lhe o coração. Mesmo ferido, Vilmony conseguiu dar alguns passos, porém, caiu mais à frente, tendo sido arrastado por seguranças do estabelecimento para fora da boate, local onde morreu minutos depois. Rafael fugiu, acompanhado do amigo Héricles Janson Marques, conhecido como Renata Ribeiro. Ainda conforme denúncia, Rafael, ao sair do local, deixou cair sua bolsa pessoal contendo seus pertences, documentos de identificação e uma porção de maconha. (Texto: Thielly Bueno – estagiária do Centro de Comunicação Social)

Fale conosco sobre esta página