O titular da 2ª Vara Criminal de Águas Lindas de Goiás, juiz Felipe Morais Barbosa, vai ouvir em audiência nesta segunda-feira (17), às 13h30, dois réus supostamente envolvidos em um estupro coletivo ocorrido no dia 9 de outubro do ano passado durante uma festa realizada no município. Em inquérito separado, a Polícia Civil apura a participação de mais dois homens no crime.

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Carlos França, designou o desembargador José Paganucci Júnior e a juíza substituta em segundo grau Doraci Lamar Rosa da Silva Andrade para atuarem no plantão judiciário em segundo grau, de 17 a 24 de janeiro. O desembargador ficará responsável pelos feitos de competência exclusiva do Órgão Especial, enquanto a juíza pelas demais demandas que derem entrada no Tribunal no período.

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Carlos França, designou o juiz Rodrigo de Melo Brustolin, da comarca de Rio Verde, para, sem prejuízo da atuação na unidade judiciária de sua titularidade, atuar no Programa de Auxílio e Aceleração de Julgamento do Interior, na 3ª Vara Criminal da comarca de Aparecida de Goiânia; na Vara de Família, Sucessões e Cível de Mineiros; e no Juizado Especial Cível e Criminal de Luziânia, até o próximo dia 31 de janeiro.

Daniel Marques da Silva foi condenado a 13 anos de reclusão por tentar contra a vida de sua ex-companheira e do atual namorado da vítima, em sessão do Tribunal do Júri, presidida pelo juiz João Corrêa De Azevedo Neto. O julgamento foi realizado na quinta-feira (13), na comarca de Senador Canedo, como parte do programa Pro-Júri, com objetivo de acelerar o trâmite de processos criminais e foi acompanhado pelo coordenador da iniciativa, o juiz auxiliar da presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), Reinaldo Oliveira Dutra, e do participante do projeto, juiz auxiliar da Corregedoria-Geral de Justiça do Estado de Goiás (CJGO), Gustavo Assis Garcia.