O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida da comarca de Goiânia, irá presidir nesta quinta-feira (12) o júri popular dos integrantes de uma facção criminosa, acusados de matar uma mulher por envolvimento com o tráfico de drogas. Lucas Albert Nunes da Silva, vulgo Nero e Raul Miguel Batista Feliciano, vulgo Ratão, são acusados de matar Suziane Silva de Almeida, crime praticado em 22 de fevereiro de 2013. Além disso, Rodrigo Santana da Silva não irá a júri popular, pois na época era menor de idade, e Alexandre Gonçalves de Deus, vulgo Nice, foi impronunciado da denúncia. A sessão terá início às 8h30, no Fórum Cível, situado na Avenida Olinda, Park Lozandes, em Goiânia.

Consta dos autos que Suziane era usuária de drogas e estava envolvida com traficantes da região onde morava. Em razão desse envolvimento, os réus acreditavam que a vítima teria participado de uma emboscada que resultou na morte do também traficante Ricardo Renner, vulgo Ricardinho, ocorrida no dia 12 de dezembro de 2012, de quem eram amigos, e também integravam a mesma facção criminosa. Assim, com o desejo de vingar a execução de Ricardinho, cuja participação foi atribuída a Suziane, os réus decidiram matá-la.

Ainda conforme os autos, o crime foi praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, pois Suziane foi surpreendida em casa, durante o repouso noturno, sem que tivesse ocorrido qualquer discussão prévia entre eles. Os réus são acusados de homicídio qualificado por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima. Na acusação, estará presente o promotor Maurício Gonçalves de Camargos. Na defesa, estarão os defensores públicos Sérgio Miranda de Oliveira Rodrigues, Wellington Carvalho da Silva, Carolina Nasser Teixeira, Vitor Ricardo Nunes Martins da Costa e Matheus Ferreira da Costa.

O crime aconteceu no dia 22 de fevereiro de 2013, às 24h40, em uma residência na Vila Alvorada, em Goiânia. No momento, Suziane estava em casa, onde morava com as irmãs, que estavam do lado de fora do imóvel, quando Raul, Lucas e Rodrigo chegaram armados inesperadamente na residência, surpreendendo e rendendo as moradoras. Já Alexandre os levou ao local em um veículo e ficou aguardando, nas proximidades, a execução do crime.

Em seguida, dispararam duas vezes contra a vítima, que, no momento, se encontrava no banheiro. Na sequência, Lucas, que permanecia fora da residência, para que ninguém entrasse no local e mantendo as irmãs de Suziane sob vigilância, também entrou na residência e efetuou um disparo contra a vítima, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local. (Texto: Thielly Bueno – estagiária do Centro de Comunicação Social)

Fale conosco sobre esta página