Print da tela de videoconferência do Zoom com participantes da reunião

“Estamos todos em um único Poder Judiciário goiano.” A fala do presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Carlos Alberto França, foi dita para anunciar o reforço de 65 servidores na comarca de Goiânia. Os servidores estão sendo cedidos pela Presidência do TJGO e também pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás e atuarão na comarca da capital até o dia 31 dezembro, sem nenhum prejuízo em relação às respectivas gratificações (FEC ou DAE).

O comunicado sobre a cessão dos 65 servidores a partir desta quarta-feira (5) foi feito pelo presidente Carlos França e pelo corregedor-geral da justiça Nicomedes Borges ao diretor do Foro da comarca de Goiânia, juiz Héber Carlos de Oliveira, em reunião na tarde desta segunda-feira (3). Do total, 50 pertencem aos quadros das diversas diretorias e Presidência do TJ e os outros 15 foram cedidos pela Corregedoria, em apoio ao trabalho da atual gestão para valorização do primeiro grau de jurisdição. A Presidência, a CGJ e a diretoria do Foro de Goiânia terão reunião virtual com os selecionados nesta quarta, às 14 horas.

De acordo com levantamento, existe, na comarca da capital, a necessidade de preenchimento de 120 cargos vagos e a prestação de serviços está ficando prejudicada, o que justificou a medida proposta pela Administração.

“Esse é um trabalho da Presidência e da Corregedoria em apoio ao primeiro grau. Além de atender a comarca e os jurisdicionados, estamos também observando a orientação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) na Resolução 219, de valorização da força de trabalho no primeiro grau de jurisdição, mesmo sacrificando muito os demais servidores que continuarão atuando no segundo grau, pois terão que se desdobrar para que não ocorra atraso nos serviços do tribunal”, explica o presidente do TJGO. França também salientou a importância de “deixar claro para esses servidores que ir trabalhar na comarca de Goiânia deve ser motivo de satisfação, pois o primeiro grau tem uma importância enorme para os jurisdicionados e para o poder judiciário. É no primeiro grau de jurisdição que a maioria das ações inicia e termina e o Tribunal somente existe porque tem o primeiro grau.”

Apoio da CGJGO
Para o corregedor-geral da Justiça, desembargador Nicomedes Domingos Borges, o objetivo da Presidência e Corregedoria é o mesmo: trabalhar em apoio ao primeiro grau. “Dentro dessa premissa de colaboração e de não causar nenhum prejuízo ao servidor é que nós dispusemos a ajudar. A impressão que tenho é que esses servidores só vão retornar se quiserem, pois vão se tornar indispensáveis onde estiverem prestando serviço”, acredita o corregedor-geral.

Reforço em Goiânia
Diretor do Foro da comarca de Goiânia, juiz Héber Carlos de Oliveira, disse que, em 30 dias, a Administração mudou o cenário da capital. “Quero agradecer ao presidente e ao corregedor, pelo empenho e dedicação. E mostrar para a comunidade de Goiânia que o Tribunal e a Corregedoria estão cumprindo sua função e indo além, sendo solidários com o primeiro grau.”

Além da cessão dos servidores, a comarca de Goiânia vai receber mais um reforço com a contratação de 100 terceirizados, preferencialmente bacharéis em Direito, e novos estagiários de graduação ( as comarcas do interior também receberão estagiários e terceirizados em breve).

Participaram da reunião os juízes auxiliares da Presidência, Sirlei Martins da Costa, e da Corregedoria, Altair Guerra; a secretária-geral da presidência Dahyenne Mara Martins Lima Alves, o diretor-geral, Rodrigo Leandro da Silva, os diretores do TJGO, Wanessa Oliveira Alves (Recursos Humanos) e Luciano Augusto Souza Andrade (Comunicação Social), a secretária-geral da corregedoria Helenita Neves de Oliveira e Silva e servidores da diretoria do Foro da comarca de Goiânia. (Texto e imagem: Daniela Becker - Centro de Comunicação Social do TJGO). 

Fale conosco sobre esta página