O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, por meio do Centro de Comunicação Social, ficou em primeiro lugar na categoria Comunicação de Interesse Público no 20º Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça (PNCJ) 2022, com o projeto “Liga dos Heróis Comuns (mas especiais)”. O resultado foi anunciado na noite dessa sexta-feira (5) em cerimônia realizada na cidade do Rio de Janeiro (RJ). O projeto vencedor era um dos três classificados para a final nesta categoria. O TJGO ainda conquistou o segundo lugar na categoria fotografia com o projeto "Ancestralidade Kalunga".

Concorreram ao prêmio tribunais superiores, federais e estaduais, além de defensorias, seccionais da OAB, Ministério Público e Tribunais de Contas de todo o país. Este ano, o Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça teve recorde de inscrição, foram 301 trabalhos inscritos, com 36 finalistas.

Grande Prêmio
O TJGO ainda conquistou o terceiro lugar no Grande Prêmio de Comunicação e Justiça com a fotografia do projeto Ancestralidade Kalunga, categoria na qual todos os projetos concorreram juntos e que soma notas do júri técnico e dos participantes.

O presidente do TJGO, desembargador Carlos França, destacou que o aprimoramento da comunicação é uma prioridade da atual gestão, sobretudo tendo como foco a transparência do Poder Judiciário de Goiás. “Na mesma semana que conquistamos o primeiro lugar no prêmio de transparência do TCE Goiás, com o índice de 100%, temos mais essa conquista nacional da comunicação, o que demonstra que estamos evoluindo para sermos um Judiciário eficiente e com foco em atender bem aos nossos jurisdicionados".

Carlos França falou ainda da importância do projeto vencedor, que está alinhado à prioridade de sua gestão e que esse reconhecimento reafirma as políticas do Poder Judiciário nesse sentido. “O Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça só reforça nosso direcionamento para projetos que, a exemplo desse, favorecem nossa infância e juventude, como também desperta nossa sociedade para o debate da temática do racismo, temas que fazem parte, inclusive, do compromisso do Poder Judiciário brasileiro com a Agenda 2030. Parabenizo toda a equipe do CCS, na pessoa do diretor Luciano Augusto, pela dedicação e pelo importante trabalho, que engrandece a imagem do Judiciário goiano”, afirmou o chefe do Poder Judiciário goiano. França
Reconhece

Para a juíza auxiliar da Presidência, Sirlei Martins da Costa, que coordena os projetos de Comunicação do TJGO, o prêmio e todos os resultados foram alcançados devido “à realização de um trabalho em equipe e, também, à abertura e valorização desse trabalho pela Presidência.” A magistrada ainda lembrou que o projeto dos heróis durante a pandemia levou inspiração, mas também ajudou a transformar um pouco a realidade do isolamento.

Quem também evidenciou a importância dada pelo presidente à área de comunicação foi o diretor do CCS, Luciano Augusto. “Agradeço a parceria de toda equipe do CCS para realização dos dois projetos. Também é preciso destacar o talento da Cecília, que foi a fotógrafa do projeto da ancestralidade, e conquistou o terceiro lugar entre todos os projetos. É momento de reconhecer também a gestão, em nome do presidente, o desembargador Carlos França, que é um entusiasta do trabalho da comunicação e valoriza ações estratégicas na busca da excelência e da transparência do TJGO”.

Projeto vencedor
A Liga dos Heróis Comuns (mas especiais) conta com super-heróis infantis que representam diferentes grupos sociais (o branco, o negro, o índio, a pessoa com deficiência, o cigano, a mulher e o profissional de saúde - este último numa homenagem ao trabalho na pandemia da Covid-19). Os heróis visitaram vitualmente casas de acolhimentos para passar informações e esclarecimentos sobre os direitos das crianças e adolescentes. A ideia do projeto foi levar educação e inspiração para essas crianças que estavam mais isoladas por conta da pandemia. (Centro de Comunicação Social do TJGO).