O Poder Judiciário de Goiás está sendo representado no 83º Encontro do Colégio Permanente dos Corregedores Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (Encoge), o primeiro a ser realizado de forma virtual nesta quinta-feira (23/7),com sede em Maceió (AL), pelo corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, e pelos três juízes auxiliares da CGJGO, Donizete Martins de Oliveira, Algomiro Carvalho Neto e Aldo Guilherme Saad Sabino de Freitas. Eles acompanham todos os aspectos de interesse da sociedade brasileira abordados no evento, que ocorre à distância devido à pandemia da Covid-19 e tem como tema principal a “Corregedoria como órgão fomentador da melhoria da prestação jurisdicional”. 

A solenidade de abertura foi realizada hoje, às 8h30, com o pronunciamento inicial do corregedor nacional da Justiça e recém-eleito presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins. Esteve ao lado do ministro o desembargador Fernando Tourinho, presidente do Colégio Permanente de Corregedores de Justiça do Brasil (CCOGE), e também corregedor-geral da Justiça de Alagoas, desembargador Fernando Tourinho de Omena Souza. A seu ver, repensar o Judiciário deve ser uma atividade contínua.

“Somos um Poder em plena e constante transformação e sequioso de poder analisar e prever o que se passa dentro de suas fronteiras e é por meio desses nossos encontros de corregedores que adquirimos as forças do desenvolvimento. Tudo isso tem nos ajudado a superar os obstáculos e deficiências de toda ordem”, destacou Tourinho.

Em seu discurso, o presidente do CCOGE também acentuou que o Encoge tem sido um canal indispensável na promoção do intercâmbio de informações e experiências no âmbito da administração do Poder Judiciário brasileiro. Ele explicou ainda que a Justiça tem sido cuidadosa durante o período de pandemia causada pelo novo coronavírus, uma vez que tem buscado meios de adaptação e fortalecimento da prestação jurisdicional.

“O Colégio Permanente de Corregedores Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil tem que continuar a marcar sua posição em determinadas matérias e deve procurar sempre colaborar com o Conselho Nacional de Justiça, ofertando sugestões e participando ativamente dos debates acerca dos problemas enfrentados pela magistratura brasileira, contribuindo para a melhoria dos serviços prestados pelo Poder Judiciário nacional”, ratificou.

A finalidade do Encoge é promover um fórum de discussão e apresentação de soluções e projetos com foco na padronização de entendimento, divulgação de boas práticas e melhorias da prestação jurisdicional em todas as corregedorias do País. Dentre algumas temáticas desta edição virtual estão as inspeções judiciais em processos eletrônicos - otimização do tempo, padronização das análises; os serviços extrajudiciais na atualidade, o regime constitucional, organização, regulação e fiscalização; e as possibilidades de utilização de inteligência artificial na identificação e fraudes processuais e uso predatório da Justiça. (Texto: Myrelle Motta - Diretora de Comunicação da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás/ As fotos foram cedidas pela equipe da CGJGO que acompanha o evento e tratadas pelo fotógrafo Wagner Soares do Centro de Comunicação Social do TJGO)

Fale conosco sobre esta página