Troca de experiências diversificadas, reflexões sobre o desenvolvimento das habilidades interpessoais no ambiente de trabalho, formação contínua de servidores e servidoras, e reunião com representantes do serviço Extrajudicial foram o destaque do segundo dia de atividades do Encontro Regional da 9ª Região Judiciária nesta quinta-feira, 29. Caldas Novas, que é a Comarca Polo, sedia o evento promovido pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás em conjunto com a Escola Judicial de Goiás (Ejug), responsável pelas certificações.

A primeira infância, que vai de 0 a 6 anos, é considerada uma das fases mais sensíveis na vida de um ser humano, já que nesse período é formada a personalidade acompanhada de vários fatores como o caráter, a base emocional e cognitiva, a cidadania e a consciência de direitos e deveres, dentre outros. As experiências são levadas para o resto da vida e, por essa razão, as crianças precisam desenvolver todo o seu potencial e devem receber o estímulo e o afeto de que tanto necessitam, além de ter seus direitos básicos resguardados. Sob essa ótica, o Tribunal de Justiça de Goiás, por meio da Divisão Interprofissional Forense da Corregedoria Geral da Justiça do Estado de Goiás, em parceria com a Escola Judicial de Goiás (Ejug), promove o Curso Marco Legal da Primeira Infância em Goiás, que teve início nesta segunda-feira, 26. A aula inaugural contou com aproximadamente 100 participantes.

Estabelecendo novamente um diálogo aberto com magistrados (as), servidores (as) e a sociedade de forma geral teve início nesta quarta-feira, 28, o Encontro Regional da 9ª Região Judiciária, cuja Comarca Polo é Caldas Novas, considerada uma das cidades mais pujantes e de maior potencial turístico e econômico do País. Em sua 11ª edição , o evento é promovido de forma híbrida (on-line e presencial) pela Corregedoria Geral da Justiça de Goiás em parceria com a Escola Judicial de Goiás (Ejug). 

O Conselho Nacional de Justiça promoverá na quarta-feira, 28, das 9 horas às 12 horas, pela via on-line, o Seminário “Sistema Eletrônico de Registros Públicos”, no Plenário do órgão. O evento ocorrerá por videoconferência (pelos canais do CNJ no Youtube), conforme programação. A abertura será feita pelo corregedor nacional, ministro Luis Felipe Salomão.

  •    

    Ouvir notícia: