A pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a extensão do trabalho home office (teletrabalho) por tempo indeterminado, e a mudança brusca nas rotinas de trabalho dos servidores do Poder Judiciário goiano (embora com altos índices de produtividade), ocasionaram mudanças de toda natureza na vida de cada um. Desta forma, muitas dificuldades e sentimentos que surgiram com essas circunstâncias adversas decorrente de tempos incertos, como ansiedade, angústia, e até depressão, têm assolado os servidores, bem como grande parte da população mundial. Preocupado e atento a este fator de abalo emocional e psicológico devido à complexidade do momento atual, o corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, decidiu pela realização de um encontro motivacional virtual que acontecerá nesta quinta-feira (30), das 11 às 12h30, com o intuito de ajudar os servidores a cuidarem da saúde mental em meio a essa situação tão delicada, que tem afligido toda a sociedade. A iniciativa é inédita e este é o primeiro encontro desta natureza durante o período da quarentena e de regime de teletrabalho adotado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás. 

Coragem, ânimo, foco e esperança. Essas foram as principais palavras de alento da mensagem transmitida pelo corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, na manhã desta segunda-feira (20), aos juízes auxiliares, secretário-geral, diretores de área e servidores da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás, durante reunião realizada por meio de videoconferência, para apresentação dos quase 33 mil atos (32.931) praticados pelas equipes do órgão nos 30 dias de teletrabalho e de isolamento social (de 17 de março a 17 de abril). A medida foi tomada pelo Poder Judiciário em março devido ao avanço do novo coronavírus (Covid-19), bem como para evitar o contágio da doença por servidores e jurisdicionados, seguindo recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e de outros órgãos oficiais. 

O projeto

O Mês Nacional do Júri foi instituído pelo Conselho Nacional de Justiça - CNJ, por meio da Portaria nº 69/2017.

Objetivo

Trata-se de esforço concentrado no mês de novembro para que os Tribunais de Justiça de todo o país julguem crimes hediondos - homicídio e tentativa de homicídio.

Como proceder

A portaria que instituiu o Mês Nacional do Júri definiu que os Tribunais devem encaminhar os dados coletados durante os julgamentos dos crimes dolosos contra a vida ao CNJ no prazo de uma semana após o encerramento da ação. Trinta dias após o encerramento das atividades, as cortes precisam informar ao Conselho as dificuldades que encontraram no período. As informações serão analisadas e, a partir deste trabalho, será dado encaminhamento às propostas de aperfeiçoamento e solução.

Resoluções e Provimentos

Mais informações

Diretoria de Planejamento e Programas 
Rua Assis Chateaubriand, nº 195, térreo, Setor Oeste
CEP: 74.130-011 - Goiânia-GO / Brasil
Fone: (62) 3236-5478 / 5487 / 5475 / 5476
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Apesar de todas as limitações e desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), restringindo, de formas diversas, os serviços prestados à população, a alta produtividade de magistrados e servidores que compõem todas as unidades judiciárias integrantes do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) tem sido comprovada neste período de quarentena através do expressivo números de decisões, sentenças, despachos e atos ordinatórios praticados. Um dos maiores exemplos, no que se relaciona ao primeiro grau de jurisdição, é o alto índice de produtividade alcançado pelos Juizados Especiais do Estado de Goiás, que, no período de 16 de março a 12 de abril, conseguiu atingir a marca de 228.159 atos praticados, entre despachos, sentenças, decisões e atos de servidores. O relatório estatístico foi elaborado pela Diretoria de Gestão da Informação do TJGO, cujos dados foram extraídos do Sistema de Processo Judicial Digital (Projudi). 

Fale conosco sobre esta página