O corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, expediu na noite desta segunda-feira (27/07) o Ofício Circular nº 367/2020 que autoriza o atendimento presencial nos cartórios extrajudiciais desde que sejam respeitadas e cumpridas à risca todas as normas sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O ato reforça as orientações já contidas no Ofício Circular nº 336/2020, quanto ao atendimento presencial, no que se referia ao revezamento estabelecido pelo Decreto Estadual nº 9.685, de 29 de junho de 2020, que adotou 14 dias de suspensão seguidos por 14 de funcionamento, sucessivamente, das atividades econômicas. Contudo, o Ofício Circular nº 367/2020 prevê a exceção no caso de estipulação diversa por parte do Poder Executivo, o que ocorre com a edição do novo Decreto Estadual nº 9.700/2020, publicado no Diário Oficial também na noite desta segunda-feira (27), prorrogando, por tempo indeterminado, o período de funcionamento das atividades econômicas, previsto no caput do artigo 2º do Decreto nº 9.653, de 19 de abril de 2020, que se encerraria ontem. 

O Poder Judiciário de Goiás está sendo representado no 83º Encontro do Colégio Permanente dos Corregedores Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (Encoge), o primeiro a ser realizado de forma virtual nesta quinta-feira (23/7),com sede em Maceió (AL), pelo corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, e pelos três juízes auxiliares da CGJGO, Donizete Martins de Oliveira, Algomiro Carvalho Neto e Aldo Guilherme Saad Sabino de Freitas. Eles acompanham todos os aspectos de interesse da sociedade brasileira abordados no evento, que ocorre à distância devido à pandemia da Covid-19 e tem como tema principal a “Corregedoria como órgão fomentador da melhoria da prestação jurisdicional”. 

O pintor automotivo Marcos Souza Silva e a pedagoga Taís Cristina Oliveira Tavares esperaram 24 anos para se tornarem efetivamente “pai e filha”. Com a separação dos pais, ainda na barriga da sua mãe, Taís não teve contato com o genitor desde o seu nascimento até completar 14 anos. Vários problemas de ordem pessoal fizeram com que ela se mantivesse distante de Marcos mesmo depois de conhecê-lo pessoalmente na adolescência. Contudo, o amor e a ausência do pai falaram mais alto ao seu coração e ela decidiu procurá-lo há um ano para que finalmente pudessem realizar o sonho de reconhecimento da paternidade. Esse desejo foi concretizado na manhã desta quinta-feira (23) com a iniciativa inédita da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás de promover seis reconhecimentos de paternidade virtuais (três deles com DNA) pela plataforma Zoom Meetings, durante o período de pandemia da Covid-19. As audiências foram presididas pelo juiz Eduardo Perez Oliveira, coordenador do Pai Presente em Goiânia, e acompanhadas pelo juiz Donizete Martins de Oliveira, coordenador estadual do programa. 

Em formato exclusivamente digital, a terceira edição do Informativo da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás (CGJGO), já está disponível nos sites do Tribunal de Justiça de Goiás, da CGJGO, e também na intranet (portal interno do TJGO). Excepcionalmente, esta edição não terá a versão impressa em razão da pandemia da Covid-19. No entanto, as matérias englobam assuntos do órgão censor antes e durante o avanço da doença. A iniciativa visa dar maior transparência às ações e projetos desenvolvidos pela CGJGO, que está sob o comando do desembargador Kisleu Dias Maciel Filho. 

Fale conosco sobre esta página