Com mais de 100 participações de magistradas e magistrados, servidoras e servidores da 8ª Região Judiciária, cuja Comarca Polo é Goiás, a abertura do Encontro Regional On-line foi realizada nesta quarta-feira, 22, pelo corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Nicomedes Domingos Borges, e pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Carlos Alberto França, que pela terceira vez prestigia o evento. O encontro é promovido pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás em parceria com a Escola Judicial de Goiás (EJUG) e computa a 9ª edição on-line, a 3ª da atual gestão.

De maneira informal e objetiva, o corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, cumprimentou o colega, desembargador Carlos Alberto França, presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, bem como os juízes auxiliares da Corregedoria e da Presidência do TJGO, magistradas e magistrados e servidoras e servidores que integram a 8ª Região Judiciária.

O corregedor-geral voltou a destacar que no atual contexto social não há alternativa para um Poder Judiciário ágil e eficiente se este se mantiver distante dos meios virtuais. A seu ver, comunicar-se com clareza, utilizando a tecnologia, é, hoje, uma função inerente a todos os Tribunais do País.

“É inegável que o atendimento virtual permite uma maior capilaridade e contribui substancialmente na democratização dos serviços junto aos usuários, especialmente em relação ao Encontro Regional On-line, que ampliou esse leque e propicia uma oportunidade para reforçar o processo de resgate institucional da confiança e melhoria da imagem do Poder Judiciário por meio de estratégias que consolidam ações inclusivas”, frisou.

Aproveitando a oportunidade, Nicomedes Borges fez ainda uma referência à adesão da CGJGO às Campanhas Setembro Verde e Amarelo, em consonância com a Presidência do TJGO, atendendo à missão institucional e social que compete ao órgão censor em cumprimento à Meta 1. Quanto ao Encontro Regional On-line, ele enfatizou que os jurisdicionados, igualmente, devem ser chamados a atuarem de forma mais participativa, proporcionando, inclusive, maior legitimidade para a tomada de decisões e análise das demandas solicitadas.



Visão diferenciada

Com a pandemia da Covid-19, segundo o corregedor-geral, determinados expedientes precisaram ser vistos de forma diferenciada como a solução para que o acesso à Justiça não ficasse obstado. Para ele, tudo isso requer logística e a sociedade, a mais atingida pelos efeitos do cenário pandêmico, deve ser preservada, não podendo ficar desamparada quanto ao enfrentamento de uma violação de direito, quando mais precisa do Judiciário.

“Por essa razão, esforços não tem sido poupados por este órgão censor e assumimos o compromisso de aproximar a Justiça do cidadão, desta vez, por meio remoto, de não deixar nossos servidores desguarnecidos com a disponibilização de um rol de capacitações contínuas, de dar a oportunidade para a comunidade ser ouvida, de contribuir para a solução pacífica dos conflitos. O senso de cidadania e de coletividade deve ser fortalecido e sempre estaremos empenhados nessa missão”, reforçou.

Aprimoramento fundamental

Com palavras afetuosas e expressando total apoio ao evento, o presidente do TJGO, desembargador Carlos França, conclamou todos os presentes a aproveitarem a oportunidade de participar dos debates profícuos, das orientações, da troca de ideias, das solicitações trazidas pela sociedade.  

“A Corregedoria tem desempenhado muito bem o seu papel. Esses encontros são fundamentais para o aprimoramento da nossa atuação como magistradas e magistrados e servidoras e servidores, pois tudo resulta numa melhor prestação jurisdicional. Sob a gestão serena, mas firme, do desembargador Nicomedes Borges esse aperfeiçoamento está acontecendo em uma velocidade maior junto a Ejug e a Presidência do Tribunal, em uma sintonia perfeita com o órgão censor, visando justamente um bom atendimento aos magistrados, servidores e jurisdicionados”, evidenciou.

Já o juiz Altair Guerra da Costa, auxiliar da CGJGO e coordenador geral dos Encontros Regionais, falou sobre o significado especial e histórico do evento ser promovido em Goiás, uma cidade que representa o berço histórico do Estado e que completou 200 anos, assim como realçou as outras importantes comarcas que fazem parte do Vale do Araguaia e integram a 8ª Região Judiciária.

“Esse momento é singular com a diversidade de atividades e capacitações que transmitem às nossas servidoras e servidores as orientações necessárias sobre o que compreendemos ser essencial, estabelecendo diretrizes para o melhor desempenho do primeiro grau de jurisdição”, realçou.



“Peças de uma mesma engrenagem”

Sentindo-se honrada por ser anfitriã de tão relevante evento, a juíza Francielly Faria Morais, diretora do Foro de Goiás, enalteceu as presenças do presidente do TJGO e do corregedor-geral e afirmou que esse apoio, esse alento leva todos a buscarem o mesmo ideal: o de fazer Justiça. A magistrada ressaltou ainda a importância do princípio da cooperatividade.

“Sintam-se abraçados e sejam muito bem-vindos. Somos como uma peça de engrenagem componentes dessa máquina complexa que é o Judiciário, onde todos são importantes desde os magistrados até os estagiários. Esse é um momento do encontro, de nos reciclarmos, de nos renovarmos, para podermos exercer nossa função de maneira melhor”, pontuou.



Painel ativacional

Em seguida, com a sensibilidade de sempre, foi apresentado o painel ativacional pelas servidoras Daniella Botelho e Patrícia Magalhães, integrantes da Diretoria de Recursos Humanos do TJGO. Com uma repaginação do painel, as duas fizeram questão de agradecer o apoio dispensado pela CGJGO e chamaram a atenção para a importância dos pontos de conexão e de conseguir conviver fora do piloto automático. Para ambas, a trajetória para o sucesso profissional e pessoal é saber servir ao outro.

“Vamos ser mutuamente ativados com essa troca de conhecimentos, vivendo a comunicação, com o privilégio de nos integrarmos, expondo nossas opiniões, fazendo a diferença em prol de toda sociedade. Estamos ainda num cenário pandêmico e precisamos compreender o que isso quer dizer no momento presente. Tamos que nos atentarmos para a importância de fechar ciclos, de despertar sentimentos positivos de tolerância e paciência, de enxergar o antigo como novo, de ter resiliência. No final, devemos ter a convicção de que momentos ruins são passageiros e encontrar motivos para gratidão, investindo também no perdão, que é libertador”, destacaram.



Leque de atividades     

Além do painel ativacional, as integrantes do RH ministraram, na sequência, a capacitação da Ejug com a temática "Liderar é Servir". No período da tarde desta quarta-feira, 22, serão oferecidas também capacitações em Processo Judicial Cível (PJD)- Ferramentas e Estratégias para uma Gestão Eficiente, Proad, Atualização para os Assessores de 1º Grau, PJD - Parte Geral (Cível e Criminal), e Boas Práticas dos Conselhos de Comunidade das Comarcas.

Amanhã, 23, pela manhã, será apresentado ainda um painel jurídico pelo juiz Eduardo Perez Oliveira, coordenador executivo do Programa Pai Presente, que fará uma exposição acerca da "Judicialização da Saúde - Aspectos Práticos" com a mediação do juiz Altair Guerra da Costa, auxiliar da CGJGO. Dentre as atividades da tarde de quinta-feira estão ainda as reuniões institucionais com representantes do Extrajudicial e com as servidoras e servidores que atuam como gestores administrativos do Programa Pai Presente.

Participaram da abertura do encontro os juízes Ricardo Dourado e Gustavo Assis Garcia, auxiliares da CGJGO, a juíza Patrícia Machado Carrijo, presidente da Associação dos Magistrados de Goiás (Asmego), as secretárias gerais tanto da Presidência do TJGO quanto da Corregedoria, Dahyenne Mara Martins Lima Alves e Helenita Neves de Oliveira e Silva, os servidores Clécio Marquez, diretor de Planejamento e Programas da CGJGO, que conduziu os trabalhos, e Wanessa Alves, diretora de Recursos Humanos do TJGO, além de magistradas e magistrados e servidoras e servidores que compõem a 8ª Região.



Sobre o Encontro Regional On-line

O Encontro Regional On-line é um desdobramento do Programa Encontros Regionais, até então realizado presencialmente em cada região judiciária agraciada com o evento. No entanto, com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a implementação do trabalho remoto no âmbito do Poder Judiciário a CGJGO deliberou pela realização do evento no formato on-line. Todos os esforços e recursos digitais foram empreendidos para que o encontro pudesse ser realizado por videoconferência em ambiente totalmente virtual.

Integram a 8ª Região Judiciária além de Goiás, as seguintes comarcas: Itaberaí, Itapirapuã, Itapuranga, Itaguaru, Itauçu, Jussara, Mossâmedes, Mozarlândia, Sanclerlândia, Taquaral de Goiás, Uruana, Aruanã e Nova Crixás. (Texto: Myrelle Motta - Diretora de Comunicação Social da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás/Prints e edição de imagens: Acaray Martins - Centro de Comunicação Social do TJGO)