A partir do dia 4 de julho não será mais permitido ajuizamento de novas ações por meio físico nas unidades das Varas Cíveis e Cíveis Ambientais da comarca de Goiânia, mas apenas de forma eletrônica, via Sistema de Processo Digital do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO). É o que determina o Decreto Judiciário 1005/2016, expedido na última sexta-feira (10) pelo vice-presidente do TJGO, desembargador João Waldeck Felix de Sousa, em substituição ao presidente do Tribunal, desembargador Leobino Valente Chaves, regulamentando o ajuizamento eletrônico nas Varas Cíveis e Ambientais da comarca de Goiânia. Já para as Varas de Família e Sucessões, o prazo para ajuizamento de novas ações, via processo digital, será a partir do dia 1º de agosto. O decreto foi solicitado pela Diretoria do Foro da comarca de Goiânia.

As comarcas de Porangatu e Niquelândia receberão, até sexta-feira (17) o Programa Acelerar – Núcleo Previdenciário. Foram designadas cerca de 610 audiências durante toda a semana. Os trabalhos começaram por Porangatu e seguirão na quinta-feira (16) para Niquelândia. A expectativa é a de que cerca de 2 mil pessoas passem pelos dois fóruns até o fim de sexta-feira.

Magistrados e servidores, a partir de agora, terão papel protagonista na formulação dos orçamentos do Poder Judiciário. Para isso, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador Leobino Valente Chaves, assinou, nesta segunda-feira (13), o Decreto Judiciário nº 1014/2016, que institui o Fórum Orçamentário.

O 1º Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) está realizando, nesta semana, o Mutirão de Conciliação de Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT). Nos dois primeiros dias do mutirão já foram realizadas 220 audiências, sendo 121 delas na segunda-feria (13) e 99 na terça-feira (14).

Fale conosco sobre esta página