Seguramente vivemos um tempo único na história da humanidade. Talvez ninguém seja realmente capaz de exteriorizar os múltiplos sentimentos experimentados por milhões de pessoas neste tempo de isolamento social, de imensa dor e sofrimento, ocasionados pelo avanço desenfreado da Covid-19 e das suas diversas variantes.

Por essa razão, neste tempo de quaresma aliado à pandemia, somos desafiados a nos recolher não somente em nossos corações, mas em nossas casas, a olhar para o nosso próximo de forma especial e diferenciada, a viver de modo intenso, a partir dos nossos lares, a experiência de esperar a festa da Ressurreição de Cristo.

Certamente esse tempo de “graça” permitido por Deus nos leva a adentrar em nossos quartos (lares), fechar a porta e orar ao Senhor, em um só clamor. Em meio a tanto desolamento, almejo, em nome de toda a equipe da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás, que a alegria da Páscoa acalente nossos corações, renove nossos sonhos e nos encha de esperança por dias melhores.

Que o Espírito Santo, derramado abundantemente sobre nós, nos dê a certeza de que logo estaremos juntos fisicamente e de que prosseguiremos na nossa missão de levar Justiça célere e equânime a todos os que dela necessitam.

Uma feliz e Santa Páscoa a todos os magistrados, servidores e integrantes do sistema de Justiça goiano.  

Desembargador Nicomedes Domingos Borges
Corregedor-Geral da Justiça do Estado de Goiás

Diante do cenário pandêmico e da necessidade premente de redobrar os cuidados, não só com a higiene e a adoção de medidas sanitárias, mas com a saúde emocional e mental, 16 assessores correicionais, que fazem parte da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás, participaram nesta segunda-feira (29) de uma roda de conversa descontraída com a psicóloga Daniele Rodrigues Nascimento, lotada na Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar. A iniciativa partiu da própria Assessoria Correicional, que tem à frente o assessor de Orientação e Correição, Ubiratan Alves Barros.

Reunidos em Assembleia Geral no início da noite desta quinta-feira (25) para as deliberações finais decorrentes do 85º Encontro do Colégio Permanente de Corregedores Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (Encoge), desembargadores corregedores gerais dos TJs de todo o País aprovaram seis enunciados constantes da Carta do 3º Encoge Virtual. O corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Nicomedes Domingos Borges, e os três juízes auxiliares da CGJGO, Camila Nina Erbetta Nascimento, Ricardo Dourado e Altair Guerra da Costa, participaram ativamente do evento durante todo o dia de ontem. 

Os instrumentos de autocomposição de conflitos, por meio da conciliação e da mediação, que decorrem da evolução global da cultura de pacificação, têm contribuído efetivamente, no âmbito do Poder Judiciário, para evitar a excessiva judicialização de ações e recursos mediante a construção de acordos. Com esse viés, a Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás instituiu, de forma pioneira no Estado, através do Provimento nº 50/2021, a Unidade de Mediação, Gerenciamento de Crises e Prevenção de Demandas Administrativas (UMA). A comissão atuará com mecanismos de mediação nos procedimentos administrativos e disciplinares em trâmite no Judiciário.

Dispensando maior atenção, cuidado e apoio às vítimas e familiares de crimes e atos infracionais, a Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás, por meio do recente Provimento nº 55, de 19 de março deste ano, assinado pelo corregedor-geral, desembargador Nicomedes Domingos Borges, regulamentou a destinação prioritária para esse grupo familiar e não mais a entidades beneficentes dos valores advindos da aplicação de penas pecuniárias, de requisito de suspensão condicional do processo, de transação penal e de acordo de não persecução penal, a título de reparação do dano.