Uma novidade que prioriza a pena humanizada e prevê um modelo de presídio sem violência e armas na vigilância, mas com espírito de responsabilização. Esse é o método Apac, sigla para Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, um modelo apaqueano, que será aplicado pela primeira vez em Goiás na Comarca de Paraúna, cujas obras para construção do novo presídio já estão 80% concluídas. Para acompanhar de perto esse andamento e discutir assuntos visando a normatização, por parte da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás, acerca dos critérios de admissão dos reeducandos aptos ao ingresso no referido estabelecimento prisional, o juiz Gustavo Assis Garcia, auxiliar da CGJGO, responsável pela seara criminal no Estado, fez uma visita institucional às obras do presídio de Paraúna na manhã desta terça-feira, 9.

Representando o corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, o juiz Ricardo Dourado, auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás e responsável pelo âmbito do Extrajudicial no Estado, participou da I Jornada de Direito Notarial e Registral, na última quinta e sexta-feira (4 e 5), em Recife (PE). Durante o evento, realizado na modalidade presencial, na sede do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, o magistrado entregou, em mãos, ao ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça, próximo corregedor nacional de Justiça e um dos conferencistas do evento, uma cópia do Código de Normas e Procedimentos do Foro Extrajudicial. O ministro tomará posse no novo cargo ainda neste mês, no próximo dia 30.

Investir continuamente na melhoria da atividade jurisdicional adotando uma política de trabalho de “portas abertas” em prol da sociedade e valorizar o trabalho desempenhado por magistradas e magistrados, servidoras e servidores que compõem o quadro do Tribunal de Justiça de Goiás. Essa premissa tem sido cumprida à risca pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás que, em parceria com a Escola Judicial de Goiás, deu continuidade nesta quinta-feira, 4, à extensa gama de atividades desenvolvidas durante o segundo dia do Encontro Regional da 2ª Região Judiciária, cuja Comarca Polo é Aparecida de Goiânia. 

Com quase 3 mil participações, o maior número alcançado pelo Programa Encontro Regional até o momento pela atual gestão da Corregedoria Geral da Justiça do Estado de Goiás, com recorde de inscritos, o Encontro Regional da 2ª Região Judiciária, cuja Comarca Polo é Aparecida de Goiânia, foi encerrado com muito sucesso nesta sexta-feira, 5, através da audiência pública promovida pelo órgão censor para ouvir todos os segmentos da sociedade civil após três dias de grande interatividade.

Com número recorde de 500 inscritos e adotando pela segunda vez a modalidade híbrida (on-line e presencial), o Encontro Regional da 2ª Região Judiciária, que tem como Comarca Polo Aparecida de Goiânia e é promovido pela Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás em parceria com a Escola Judicial de Goiás (Ejug), foi aberto nesta quarta-feira, 3, pelo presidente do Tribunal de Justiça de Goiás, desembargador Carlos Alberto França, que mais uma vez enalteceu o programa e conclamou os colegas das 19 comarcas que compõem a respectiva região a participarem ativamente dos trabalhos.

  •    

    Ouvir notícia: