Atendendo solicitação do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos de Goiás (Cira), o corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, esteve reunido com o promotor José Humberto Nunes Nogueira, coordenador do Grupo Operacional do Cira, e demais integrantes daquele comitê, na tarde desta terça-feira (30), em seu gabinete. A finalidade do encontro foi a possibilidade de implementar medidas para que os magistrados goianos tenham maior conhecimento acerca do trabalho desenvolvido pelo Cira, contemplando, assim, as ações judiciais cíveis e criminais em tramitação pelo órgão.

Com 60 facilitadores já capacitados para atuarem na rede municipal de ensino, o Projeto Pilares, fruto de uma parceria entre a Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás, por meio da Secretaria Interprofissional Forense, e a Secretaria Municipal de Educação (SME), com o objetivo edificar uma cultura de paz nas escolas, poderá ser estendido para o âmbito estadual. As tratativas para a possível viabilização do projeto na rede estadual foi pauta da reunião realizada nesta terça-feira (16) entre o corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, e representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), que reiteraram o pedido após formalização via Proad.

Um sistema correicional mais participativo, aberto e moderno de forma a contribuir para a melhoria da gestão do Poder Judiciário e a criação do Processo Judicial Eletrônico das Corregedorias, o PJeCorr, permitindo, assim, maior agilidade, transparência e modernização dos órgãos correicionais, foram os principais pontos levantados durante a abertura do I Fórum Nacional das Corregedorias (Fonacor), que aconteceu no Auditório do Conselho da Justiça Federal (CJF), em Brasília, na noite desta quarta-feira (26). O evento está sendo acompanhado passo a passo nesses dois dias de realização pelo corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho (D), pelo juiz Aldo Saad Sabino de Freitas (C), auxiliar da CGJGO, e pelo diretor de Tecnologia da Informação da Corregedoria, Domingos da Silva Chaves Júnior (E).

A proliferação das organizações criminosas certamente é um dos maiores desafios para as políticas de segurança pública no contexto atual e atinge também os serviços extrajudiciais, que também se tornaram alvos de quadrilhas especializadas na falsificação de documentos, através dos quais são lavrados atos notariais diversos. Atenta a essa grave situação, a Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás solicitou à Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSPGO) que seja disponibilizado aos cartórios extrajudiciais, sob a sua supervisão, o acesso ao Sistema de Multiportabilidade de Sistemas – Mportal, nos níveis de confiabilidade necessários à conferência dos documentos de identificação apresentados nas serventias. Esse intercâmbio de informações entre os dois órgãos foi viabilizado na manhã desta quarta-feira (3), durante reunião entre o corregedor-geral da Justiça de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, e o secretário de Segurança Pública do Estado, Rodney Rocha Miranda.

A discussão e a apresentação de soluções e projetos para o enfrentamento dos desafios dos corregedores federais, eleitorais, trabalhistas, militares e estaduais diante da realidade do Judiciário atual é a temática principal do I Fórum Nacional das Corregedorias (Fonacor), que acontece nesta quarta e quinta-feiras (26 e 27), com a participação do corregedor-geral da Justiça do Estado de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, e do juiz Aldo Guilherme Saad Sabino de Freitas, auxiliar da CGJGO. O evento está sendo promovido pela Corregedoria Nacional de Justiça, no auditório do Conselho Nacional de Justiça, em Brasília.